Ao Mestre com Carinho: o Bom Professor Sob a Ótica dos Discentes de Ciências Contábeis da Geração Y

Ricardo Adriano Antonelli, Bárbara Francielli Caleffi Guelfi, Renato Cezar Tumelero, Simone Bernardes Voese

Resumo


Objetivo: Destacar as características de um bom professor na visão dos discentes de Ciências Contábeis da Geração Y.

Método: Esta pesquisa se caracteriza com quantitativa, em que a coleta de dados ocorreu por meio de questionário aplicado presencialmente em duas Instituições de Ensino Superior privadas e uma pública, tendo sido obtidas 265 respostas válidas.

Resultados: Os principais achados indicam que os discentes consideram em ordem de importância as seguintes características de seus docentes: conhecimento e domínio de conteúdo; clareza nas explicações, didática e preparo de conteúdo; relacionamento entre os acadêmicos e os docentes e a tecnologia em meio ao ensino superior; e atributos pessoais dos docentes. Com relação às instituições de ensino, observaram-se diferenças nas percepções dos discentes da pública com relação às privadas pesquisadas.

Contribuições: Os resultados obtidos neste estudo são importantes para a autoavaliação dos educadores e para as próprias instituições de ensino, tanto para a contratação dos professores como para sua avaliação, a fim de promover e/ou fortificar a formação continuada, contribuindo ao seu corpo docente suprir as expectativas discentes.

Palavras-chave


Geração Y; Curso de Ciências Contábeis; Características do Bom Professor; Tecnologia no Ensino Superior

Texto completo:

PORTUGUÊS ENGLISH (English)

Referências


Antonelli, R.A; Colauto, R.D; Cunha, J.V.A. (2012). Expectativa e Satisfação dos alunos de Ciências Contábeis com relação às Competências Docentes. Revista Iberoamericana sobre Calidad, Eficacia y Cambio en Educación – REICE.10(1), pp. 74-91.

Behrens M.A (2011). Docência Universitária: formação ou improvisação? Revista Educação, 36(3), pp. 441-454. DOI: http://dx.doi.org/10.5902/198464442976.

Cunha, M.I.; Pinto, M.M. (2009). Qualidade e educação superior no Brasil e o desafio da inclusão social na perspectiva epistemológica e ética. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. 90(226), pp. 571-591. DOI: http://dx.doi.org/10.24109/2176-6681.rbep.90i226.474.

Dalongaro, R. B.; Ramos, C. S.; Azzolin, R. F. (2016). Estudo sobre a empregabilidade dos cursos de graduação no Brasil. Em URI (Org.), Anais do Encontro Missioneiro de Estudos Interdisciplinares em Cultura - EMiCult, São Luiz Gonzaga, RS, Brasil, 2.

Field, A. (2009). Descobrindo a Estatística usando o SPSS. (2ª ed.) Porto Alegre: Artmed.

Freitas, A. A. S. M. (2005). Acesso à Universidade: os alunos do ensino superior privado. Estudos em Avaliação Educacional, 16(31), pp. 153-168. DOI: http://dx.doi.org/10.18222/eae163120052146.

Hair, J.F.Jr., Black, B., Babin, B., Anderson, R.E.; Tatham, R.L. (1998). Multivariate data analisys. (5ª ed.) New Jersey: Prentice Hall.

Imbernón, F. (2011). Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. São Paulo: Cortez.

Kemshal-Bell, G. (2001). The Online Teacher: Final Report prepared for the Project Steering Committee of the VET Teachers and On-line Learning Project, ITAM, ESD, TAFENSW. Department of Education and Training, TAFE NSW.

Kometani, P. (2017). Veja 20 profissões que estarão em alta em 2017, segundo especialistas - Empresas buscam profissionais que resolvam problemas e reduzam custos. Expectativa é que mercado melhore de acordo com a reação econômica do país. Recuperado em 11 de abril, 2017, de http://g1.globo.com/economia/concursos-e-emprego/noticia/veja-20-profissoes-que-estarao-em-alta-em-2017-segundo-especialistas.ghtml.

Lapini, V.C. (2012). Panorama da formação do professor em Ciências Contábeis pelos cursos stricto sensu no Brasil. Ribeirão Preto: Universidade São Paulo

Lima, F.D.C; Oliveira, A.C.L; Araújo, T.S.; Miranda, G.J. (2015). O choque com a realidade: dormi contador e acordei professor... Revista Iberoamericana sobre Calidad, Eficacia y Cambio en Educación – REICE. 13(1), pp. 49-67.

Lipkin, N. (2010). A Geração Y no trabalho: como lidar com a força de trabalho que influenciará definitivamente a cultura da sua empresa. Rio de Janeiro: Elsevier.

Lowman, J. (2007). Dominando as técnicas de ensino / tradução Harue Ohara Avritscher; consultoria técnica Ilan Avrichir, Marcos Amatucci. – 1ª. Ed. – 3. Reimp. – São Paulo: Atlas.

Mainart, D.A.; Santos, C.M. (2010). A importância da tecnologia no processo ensino-aprendizagem. Anais do Congresso Virtual Brasileiro – Administração, 8.

Marques, V.A.; Oliveira, M.C.; Nascimento, E.M.; Cunha, J.V.A. (2012). Atributos de um bom professor: um estudo sobre a percepção dos alunos de ciências contábeis. Revista de Contabilidade e Controladoria, 4(2), pp. 7-22. DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rcc.v4i2.25970.

Marsh, H.W. (1991).Multidimensional Student´s Evaluations of Teaching Effectiveness: A test of alternative higher-order structures. Journal of Educational Psychology. 83(2), pp. 285-296. DOI: 10.1037/0022-0663.83.2.285.

MCalister, A. Teaching the millennial Generation.(2009).American Music Teacher. 40(3), pp. 13-15.

Medeiros, A.C.P. e Oliveira, L.M.B. (2009). Análise das competências de ensino relevantes ao bom desempenho docente: um estudo de caso. Anais do Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, São Paulo, SP, Brasil, 33.

Miranda, G.J.; Casa Nova, S.P.C.; Cornacchione J. (2012). Os saberes dos Professores-Referência no Ensino de Contabilidade. Revista de Contabilidade e Finanças – USP, 23(59), pp. 142-153. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1519-70772012000200006.

Nganga, C. S. N.,Botinha, R. A., Miranda, G. J., Leal, E. A. (2016). Mestres e doutores em contabilidade no Brasil: uma análise dos componentes pedagógicos de sua formação inicial. Revista Iberoamericana sobre Calidad, Eficacia y Cambio em Educación.16(1), pp. 83-99.

Nogueira, D.R.; Casa Nova, S.P.C.; Carvalho, R.C.O. (2012). O bom professor na perspectiva da Geração Y: uma análise sob a percepção dos discentes de Ciências Contábeis. Revista Enfoque Contábil, 31(3), pp. 37-52. DOI: http://dx.doi.org/10.4025/enfoque.v31i3.16895.

Oro, I.M.; Santana, A.G.; Rausch, R.B. (2013). Os saberes do “Bom Professor” de Ciências Contábeis na compreensão de acadêmicos da Geração Y. Anais do Encontro de ensino e pesquisa em Administração e Contabilidade, Brasília, DF, Brasil, 4.

Pan, D.; Tan, G.S.H.; Ragupathi, K.; Booluck, K.; Roop, R.; Ip, Y.K. (2009). Profiling Teacher/Teaching Using Descriptors Derived from Qualitative Feedback: Formative and Summative Applications. Research High Education, 50(1), pp. 73-100. DOI: http://dx.doi.org/10.1007/s11162-008-9109-4.

Pereira, I.D.M; Nörnberg, M. (2012). Saberes pedagógicos e a prática do bom professor: o que expressam acadêmicos em estágio dos cursos de Pedagogia e Ciências Biológicas. Anais do ANPED SUL Seminário de Pesquisa em Educação da Região Sul, Caxias do Sul, RS, Brasil, 9, pp. 1-15.

Perrenoud, P. (2000). 10 Novas Competências para ensinar. Porto Alegre: Artmed.

Puentes, R.V. (2005). Formação, Identidade e Profissionalidade do professor da Educação Básica e do Ensino Superior no contexto Ibero-americano: um estado da arte (1993-2005). Trabalho apresentado como parte da Mesa Redonda intitulada Formação, identidade e profissionalização do professor de educação básica e do ensino superior, no Seminário Universidade, Educação Escolar e Formação de Professores. Cuiabá, MT, Brasil.

Puentes, R.V., Aquino, O.F.; Quillici Neto, A. (2009). Profissionalização dos professores: conhecimentos, saberes e competências necessários à docência. Educar, 34(1), pp. 169-184. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-40602009000200010.

Reichelad, N.; Arnon, S. (2009). A Multicultural view of the good teacher in Israel. Teachers and Teaching: theory and practice. 15(1), pp. 59-85. DOI: http://dx.doi.org/10.1080/13540600802661329.

Silva, T.P.; Kreuzberg, F.; Rodrigues Júnior, M.M. (2015). Desempenho dos programas brasileiros de pós-graduação em contabilidade na tangente da pesquisa científica. Revista Iberoamericana sobre Calidad, Eficacia y Cambio en Educación – REICE. 13(1), pp. 123-137.

Strassburg, U. (2002). Avaliação do professor de Contabilidade Algumas considerações. III Fórum Nacional de Professores de Contabilidade – FECAP, São Paulo, SP, Brasil.

Soares, A. B., Poubel, L. N., Mello, T. V. S. (2009). Habilidades sociais e adaptação acadêmica: um estudo comparativo em instituições de ensino público e privado. Aletheia. 29, pp. 27-42.

Tapscott, D. Growing up digital: the rise of the net generation. New York: McGraw-Hill, 1999.

Treml, E.E.Z.F.; Pereira, L.; Rank, S.M.W.(2013). Geração Y e processos de aprendizagem: um estudo exploratório em cursos profissionalizantes de administração e marketing do interior de Santa Catarina. Anais do Congresso Internacional De Administração. Ponta Grossa, PR, Brasil.

Whale, D. (2006). Technology Skills a Criterion in Teacher Evaluation. Journal of Technology and Teacher Education, 14(1), pp. 61-74.

Worley, K. Education College Students of the Net Generation. (2011). Adult Learning, summer. 22(3), pp. 31-39.

Vasconcelos, M.L.M.C. (2009). A formação do professor do ensino superior (3ª edição). São Paulo, Niterói: Xamã, Intertexto.

Vasconcelos, A.F. (2010). Fatores que influenciam as competências em docentes de ciências contábeis. Em ANPAD (Org.), Anais do Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 34.




DOI: http://dx.doi.org/10.17524/repec.v12i1.1415

Creative Commons License
Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.


ISSN 1981-8610

DOI 10.17524/repec

Indexação da REPeC: Indexadores e Diretórios


Endereço postal

Academia Brasileira de Ciências Contábeis (ABRACICON)

SAS Quadra 5, Bloco J, Edifício do CFC

CEP 70.070-920 - Brasília/DF - Brasil