ENADE e Proposta Curricular do CFC: Um Estudo em Cursos Brasileiros de Ciências Contábeis

Vanessa Ramos Silva, Gilberto José Miranda, Janser Moura Pereira

Resumo


Objetivo: este estudo teve o objetivo de avaliar se as instituições que oferecem o curso de Ciências Contábeis com fluxos curriculares mais próximos à proposta curricular do Conselho Federal de Contabilidade (CFC) apresentam maiores notas no ENADE.

Método: na coleta de dados foram visitados os sítios eletrônicos de todos os cursos de Ciências Contábeis participantes do ENADE em 2012, tendo sido localizadas informações de 447 instituições, as quais compuseram a amostra do estudo. Na análise dos dados foram utilizados: estatística descritiva e o teste de Wilcoxon.

Resultados: os principais achados do estudo demonstram que os currículos acadêmicos das instituições públicas do tipo universidade têm maior proximidade com os conteúdos da proposta do CFC. Os testes ainda evidenciaram que as melhores notas do ENADE do ano de 2012 também foram de IES do tipo universidade, com administração pública.

Contribuições: a pesquisa contribui no sentido de evidenciar que os currículos brasileiros do curso de Ciências Contábeis são bastante divergentes da proposta curricular do CFC. Evidencia também que o maior alinhamento à referida proposta tende a estar associado a maiores notas no ENADE, o que valoriza a proposta enquanto parâmetro para novas revisões curriculares no Brasil.

Palavras-chave


Educação Contábil; Conselho Federal de Contabilidade; Currículo

Texto completo:

PORTUGUÊS ENGLISH (English)

Referências


Álvaro Méndez, J. M. (2002). Avaliar para conhecer examinar para excluir. Porto Alegre: Artmed.

Brasil. Lei nº 11.638, de 28 de dezembro de 2007. (2007). Altera e revoga dispositivos da Lei nº 6.404, de 15 de dezembro de 1976, e da Lei nº 6.385, de 7 de dezembro de 1976, e estende às sociedades de grande porte disposições relativas à elaboração e divulgação de demonstrações financeiras. Recuperado em 20 junho, 2017, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/lei/l11638.htm.

Brasil. Ministério da Educação. Resolução CNE/CES nº 10, de 16 de dezembro de 2004. (2004) Diretrizes curriculares nacionais para o curso de graduação em Ciências Contábeis. Recuperado em 20 junho, 2017, http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rces010_04.pdf.

Capacchi, M., Moretto, C. F., Vancin, V. & Padilha, F. A. R. (2007). A prática do ensino contábil no Estado do Rio Grande do Sul: uma análise da grade curricular frente às exigências legais e necessidades acadêmicas. In: CONGRESSO ANPCONT, 1., 2007, Gramado. Anais... Gramado: ANPCONT.

Capacchi, M., Moretto, C. F., Vancin, V. & Padilha, F. A. R. (2007). A prática do ensino contábil no Estado do Rio Grande do Sul: uma análise da grade curricular frente às exigências legais e necessidades acadêmicas. Anais do Congresso Anpcont, Gramado, RS, Brasil, 1.

Carvalho L. N. & SALOTTI, B. M. (2013). Adoption of IFRS in Brazil and the Consequences to Accounting Education. Issues in Accounting Education, 28(2), p. 235-242. DOI: http://dx.doi.org/10.2308/iace-50373.

Conselho Federal de Contabilidade - CFC. (2009). Proposta nacional de conteúdo para o curso de Graduação em Ciências Contábeis. 2ª. ed. revista e atualizada. Brasília: CFC.

Corbucci, P. R. (2007). Desafios da educação superior e desenvolvimento no Brasil. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA).

Corrêa, M. D., Antonovz, T. & Espejo, M. M. S. B. (2009). A percepção dos Alunos sobre a Importância das Disciplinas do Currículo do Curso de Ciências Contábeis: reflexões diante do contexto contemporâneo. Anais Encontro de Ensino e Pesquisa em Administração e Contabilidade, Curitiba, PR, Brasil, 2.

Demo, P. (1998). Conhecimento Moderno: sobre a Ética e Intervenção do Conhecimento. Petrópolis: Vozes.

Doll Jr, W. E. (1997). Currículo: uma perspectiva pós-moderna. Porto Alegre: Artes Médicas.

Ferreira, M. A. (2015). Determinantes do desempenho discente no ENADE em cursos de ciências contábeis. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, MG, Brasil.

Fouché, J. P. (2013). A renewed call for change in accounting education practices. Int J Edu Sci, 5(2), p. 137-150. Recuperado em: http://krepublishers.com/02-Journals/IJES/IJES-05-0-000-13-Web/IJES-05-2-000-13-Abst-PDF/IJES-05-2-137-13-181-Fouche-J-P/IJES-05-2-137-13-181-Fouche-J-P-Tt.pdf.

Fouché, J. P. (2013). A renewed call for change in accounting education practices. Int J Edu Sci, 5(2), p. 137-150. Recuperado em 20 junho, 2017, de http://krepublishers.com/02-Journals/IJES/IJES-05-0-000-13-Web/IJES-05-2-000-13-Abst-PDF/IJES-05-2-137-13-181-Fouche-J-P/IJES-05-2-137-13-181-Fouche-J-P-Tt.pdf.

Freitas, S. C., Barbosa, I., Galvão J. A. & Miranda J. M. (2015) Percepção acerca da qualidade e utilidade do relatório de avaliação do ENADE: um estudo na área de negócios. Revista Contemporânea de Contabilidade, 12(27), p. 117-136. Recuperado em 20 junho, 2017, de https://periodicos.ufsc.br/index.php/contabilidade/article/view/2175-8069.2015v12n27p117. DOI: http://dx.doi.org/10.5007/%x.

Galdino, J. A. & Soares, S. V. (2013). O Aspecto Generalista ou Especialista da Formação em Ciências Contábeis nas Universidades Públicas da Região Norte do Brasil: uma análise curricular. Anais do Encontro de Ensino e Pesquisa em Administração e Contabilidade, Curitiba, PR, Brasil, 4

Grizendi, J. C. M., Silva, J. A. O. & Ferreira, V. C. P. A. (2008). Contribuição da Avaliação Continuada para a Melhora do Desempenho Discente: relato de uma experiência. Estação Científica Online, 6.

INEP. (2004). SINAES: Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior: da concepção à regulamentação. 2. ed. Brasília (DF): MEC.

INEP. Conceito Preliminar do Curso – CPC. (2012). Recuperado em 20 junho, 2017, de http://portal.inep.gov.br/educacao-superior/indicadores/cpc.

Jackling, B., Howieson, B. & Natoli, R. (2012). Some Implications of IFRS Adoption for Accounting Education. Australian Accounting Review, 22, p. 331-340.

Jackson, P. W. (1990). Life in Classrooms. New York: Teachers College Press.

Jesus, A. R. (2008). Currículo e educação: conceito e questões no contexto educacional. Anais do Congresso Nacional de Educação, Curitiba, PR, Brasil, 8.

Kwiek, M. (2001). The Internationalization and Globalization in Central and East European Higher Education. Society for Research in Higher Education International News, 47, 3-5.

Kumar, R. & Usunier, J. (2001). Management Education in a Globalizing World Lessons from the French Experience. Management Learning, Sage Publications, 32(3), p. 363-391.

Lagioia, U. C. T., Santiago, H. L. F., Gomes, R. B. & Ribeiro Filho, J. F. (2007). Uma investigação sobre as expectativas dos estudantes e o seu grau de satisfação em relação ao curso de Ciências Contábeis. Revista Contemporânea de Contabilidade, 4(8), p. 121-138.

Martins, G. A. & Theóphilo, C. R. (2007). Metodologia da investigação cientifica para ciências sociais aplicadas. São Paulo: Atlas.

MEC – Ministério da Educação. (2013). Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES). Recuperado em 12 maio, 2015, de: http://portal.mec.gov.br/index.php/?id=12303&option=com_content.

Miranda, G. J.; Lemos, K. C. S.; Oliveria, A. S. & Ferreira, M. A. (2015). Determinantes do Desempenho Acadêmico na Área de Negócios. Revista Meta: Avaliação, 7(20), p. 175 – 209.

Moreira, A. F. B. & Silva T. T. (org.). (1997). Currículo, cultura e sociedade. 2ª. ed. São Paulo: Cortez.

Oliveira, K. G, Silva, V. R., Miranda, G. J. & Tavares, M. (2015). Análise comparativa entre os currículos das IFES brasileiras e a proposta curricular do conselho federal de contabilidade. Anais do Congresso Anpcont, Curitiba, PR, Brasil, 9.

Paola, M. D. (2009). Does Teacher Quality Affect Student Performance? Evidence From an Italian University. Bulletin of Economic Research. 61(4), p. 353-377.

Peck, L. R. & Gorzalski, L. M. (2009). An evaluation use framework and empirical assessment. Journal of MultiDisciplinary Evaluation, 6(12), p. 139-156. DOI: http://dx.doi.org/10.5007/2175-8069.2015v12n27pl17.

Pires, C. B. & Ott, E. (2008). Estrutura curricular do curso de Ciências Contábeis no Brasil versus Estruturas curriculares propostas por organismos internacionais. Anais do Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, São Paulo, SP, Brasil, 8.

Polidori, M. M., Marinho-Araujo, C. M., Barreyro & G. B. (2006). SINAES: perspectivas e desafios na avaliação da educação superior brasileira. Ensaio. 14(53), p. 425-436.

Porter, B. & Carr, S. (1999). From Strategic Plan to Practical Realities: Developing and Implementing a Zero-Based Accounting Curriculum. Issues in Accounting Education, 14(4). DOI: http://dx.doi.org/10.2308/iace.1999.14.4.565.

Preskill, H. & Caracelli, V. (1997). Current and developing conceptions of use: Evaluation use tig survey results. Evaluation Practice, 18(3), p. 209-225.

R Development Core Team. (2015). R: A language and environment for statistical computing. R Foundation for Statistical Computing, Vienna, Austria. Recuperado em 20 junho, 2017, de: http://www.R-project.org/.

Ribeiro, V. N. C. (2010). Planejamento Educacional: organização de estratégias e superação de rotinas ou protocolo institucional? Revista Científica Online, 4(1), p. 1-12. Recuperado em 20 junho, 2017, http://www.faculdadeatenas.edu.br/arquivos/NucleoIniciacaoCiencia/REVISTAS/REVIST2010/10.pdf.

Richardson, R. J. (2011). Pesquisa Social: métodos e técnicas. 3ª. ed. São Paulo: Atlas.

Riccio, E. L. & Sakata, M. C. G. (2004). Evidências da globalização na educação contábil: estudo das grades curriculares dos cursos de graduação em universidades brasileiras e portuguesas. Revista Contabilidade & Finanças, 15(35), p. 35-44. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1519-70772004000200003.

Rodrigues, B. C. O. & Miranda, G. J. (2013). Concursos para contador: quais conteúdos vêm sendo priorizados? Anais do Congresso Brasileiro de Custos, Uberlândia, MG, Brasil, 20.

Rojas-Rojas, W. & Giraldo-Garcés, G. A. (2015). Humanidades y formación contable: una relación necessária para otear una reorientación de la profesión contable. Cuadernos de Contabilidad, 16(40), p. 261-276. DOI: http://10.11144/Javeriana.cc16-40.hfcr.

Sacristán, J. G. (2000). Currículo: Uma Reflexão Sobre a Prática. Tradução de Ernani Ferreira da Fonseca Rosa. Porto Alegre: Artmed.

Silva, T. T. (1996). Identidades terminais: as transformações na política da pedagogia e na pedagogia da política. Petrópolis: Vozes.

Silva, V. R. (2016). ENADE e fluxo curricular nos cursos de graduação em ciências contábeis no Brasil. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, MG, Brasil.

Silva, V. R & Miranda, G. J. (2016). ENADE e fluxo curricular nos cursos de graduação em ciências contábeis no Brasil. Revista Universo Contábil, 12(4), p. 30-47.

Soares, V. S., Borgert, A., Pfitscher, E. D. & Will A. R. (2012). Currículo dos cursos de Ciências Contábeis das Universidades Federais da Região Sul do Brasil: Formação especialista ou generalista. Enfoque: Reflexão Contábil, 31, p. 7-21. DOI: http://10.4025/enfoque.v31i2.13997.

Taylor, P. (1970). How teachers plan their courses. Studies in curriculum planing. Londres. NFER.

Vasconcelos, C. S. (2008). Planejamento: projeto de ensino-aprendizagem e projeto político-pedagógico – elementos metodológicos para elaboração e realização, 18ª. ed, São Paulo: Libertad Editora.

Veiga, I. P. A. (2003). Inovações e Projeto Político-Pedagógico: uma relação regulatória ou emancipatória? Cad. Cedes, 23(61), p. 267-281.

Wallace, M. (2003). Managing the Unmanageable? Coping with Complex Educational Change. Educational Management & Administration, 31(1), p. 9-29.

Worthen, B. R.; Sander. J. R.; Fitzpatrick, J. L. Avaliação de programas: concepções e práticas. São Paulo: EDUSP, 2004.




DOI: http://dx.doi.org/10.17524/repec.v11i3.1479

Creative Commons License
Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.


ISSN 1981-8610

DOI 10.17524/repec

Indexação da REPeC: Indexadores e Diretórios


Endereço postal

Academia Brasileira de Ciências Contábeis (ABRACICON)

SAS Quadra 5, Bloco J, Edifício do CFC

CEP 70.070-920 - Brasília/DF - Brasil