O Conselho de Administração ou a Carne é Fraca? O Dilema da BRF S.A.

Raul Beal Partyka, Jeferson Lana, Anete Alberton

Resumo


Objetivo e Método: Este caso para ensino retrata o problema de Governança Corporativa (GC) da BRF S.A. deflagrado pela Operação Carne Fraca da Polícia Federal. O objetivo é estimular discussões sobre a efetividade dos conselhos de administração como mecanismos de GC e no processo decisório de investimento em ações. O caso pode ser aplicado em cursos de pós-graduação, especialmente em disciplinas cujos conteúdos se relacionem com Mercado de Capitais, Finanças, Estratégia Empresarial e GC, além de cursos de graduação em disciplinas correlatas. Os dados sobre a origem e evolução histórica da empresa, bem como sobre os personagens envolvidos no caso foram obtidas por meio de sites, matérias de revistas e website da companhia. As informações coletadas e transcritas não sofreram adaptações. O roteiro e acontecimentos são eventos reais. A situação do investidor é fictícia.

Resultados e Contribuições: O caso propõe o exercício da tomada de decisão, embasada em dois pontos de vista: pelo lado da empresa, analisa-se o Conselho de Administração como mecanismo interno de GC. E no ponto de vista do acionista, um investidor que confiou suas reservas de capital àquela companhia. O caso permite a análise da efetividade do conselho de administração como mecanismo interno de governança, a assimetria de informações, conflitos de interesse e a estrutura de propriedade.

Palavras-chave


Conselho de Administração; Shareholders; Governança Corporativa

Texto completo:

PORTUGUÊS ENGLISH (English)

Referências


Utilizada:

Aguilera, R. V., Desender, K., Bednar, M. K. & Lee, J. H. (2015). Connecting the Dots: Bringing External Corporate Governance into the Corporate Governance Puzzle, The Academy of Management Annals, 9(1), pp. 483-573, doi: http://dx.doi.org/10.1080/19416520.2015.1024503

BRF. (2017) Estatuto Social BRF. Recuperado em 22 de abril, 2017 de http://ri.brf-global.com.

Comissão de Valores Mobiliários (2002). Cartilha de boas práticas de governança corporativa. Recuperado em 22 de abril, 2017 de http://www.cvm.gov.br.

Editora Abril (2017). Revista Exame. Edição 1134. Ano 51. No 6.

Editora Três (2017). Revista Isto é Dinheiro. Edição 1011.

Editora Abril (2017). Revista Veja. Edição 2523. Ano 50. No 13.

Editora Três (2017). Revista Isto É. (Ed. 2467).

Editora Três (2017). Revista Dinheiro Rural. Edição 146

Fama, E. F. & Jensen, M. C. (1983). Separation of Ownership and Control, The Journal of Law and Economics, 26(2), pp. 301-325, doi: http://dx.doi.org/10.1086/467037

Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC) (2015). Código das melhores práticas de governança corporativa. (5ª ed.), 108 São Paulo.

Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC). (2007). Guia de orientação para o gerenciamento de riscos corporativos, 48. São Paulo,

Jensen, M. (1993). The modern industrial revolution, exit, and the failure of internal control systems. The Journal of Finance, 48(3), pp. 831-880, doi: http://dx.doi.org/10.2139/ssrn.93988

Jensen, M. C. & Meckling, W. H. (2008). Teoria da firma: comportamento dos administradores, custos de agência e estruturas de propriedade. RAE-Clássicos, 48(2), pp. 87-124.

Leenders, M. R., Mauffette-Leenders, L. A. & Erskine, J. A. (2001). Writing cases. (Fourth Edition). Ontario: Richard Ivey School of Business.

Wiseman, M. & Barton, D. Onde os conselhos falham. Harvard Business Review Brasil. Jan, 2015. Recuperado em 22 de abril, 2017 de http://hbrbr.uol.com.br/onde-os-conselhos-falham/.

Recomendadas:

Daily, C. M., Dalton, D. R. & Cannella, A. A. (2003). Corporate governance: Decades of dialogue and data. Academy of Management Review, 28(3), pp. 371-382, doi: http://dx.doi.org/10.2307/30040727.

Denis, D. K. & Mcconell, J. J. (2003). International corporate governance. Journal of Financial and Quantitative Analysis, 38(1), pp. 1-36, doi: http://dx.doi.org/10.2307/4126762

Freitas R. M. de N. & Mol, A. L. R. (2017, April). Determinantes dos papéis dos Conselhos de Administração de Empresas Brasileiras. RAC, Rio de Janeiro (sai), 21(spe), pp. 63-83, doi: http://dx.doi.org/10.1590/1982-7849rac2017160053

Silveira, A. D. M. da (2005). Governança corporativa: desempenho e o valor da empresa no Brasil. São Paulo: Saint Paul Editora.

Silveira, A. D. M. da (2010). Governança corporativa no Brasil e no mundo: teoria e prática. Rio de Janeiro: Elsevier.

Sites consultados

ADVFN Brasil. Recuperado em 20 de abril, 2017 de http://br.advfn.com.

Infomoney (2017). A carne é fraca e a fé também: o mercado desistiu da BRF após mais uma má notícia? Recuperado 20 em abril, 2017 de http://www.infomoney.com.br.

Regulamento de listagem do novo mercado (2011). BM&FBOVESPA. Recuperado em 01 de maio, 2017 de http://www.bmfbovespa.com.br.

Carta Capital (2017). Carne Fraca: O que pesa contra a BRF e a JBS. Recuperado em 20 de abril, 2017 de https://www.cartacapital.com.br.

Época Negócios (2017). Escritório dos EUA prepara ações contra BRF e JBS após operação Carne Fraca. Recuperado em 30 de abril, 2017 de http://epocanegocios.globo.com.

Folha de São Paulo (2017). Operação contra frigoríficos prende 37 e descobre até carne podre à venda. Recuperado em 30 de abril, 2017 de http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2017/03/1867309-pf-faz-operacao-contra-frigorificos-e-cumpre-quase-40-prisoes.shtml.

Globo Rural (2017). União Europeia pede reunião de emergência com o Brasil sobre fraude da carne. Recuperado em 20 de abril, 2017 de http://revistagloborural.globo.com.

UOL Economia (2017). Em escuta, diretor da BRF fala de bactéria, propina e exportação vetada. Recuperado em 22 de abril, 2017 de https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2017/03/25/em-escuta-diretor-da-brf-fala-de-bacteria-propina-e-exportacao-vetada.htm.

Website de Relação com Investidores BRF (2017) Governança Corporativa. Recuperado em 25 de março, 2017 de http://ri.brf-global.com.

Website B3 (2017). Recuperado em 22 de abril, 2017 de http://www.bmfbovespa.com.br.

Website EconoInfo (2017). Recuperado em 29 de março, 2017 de http://www.econoinfo.com.br.




DOI: http://dx.doi.org/10.17524/repec.v12i2.1664

Creative Commons License
Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.


ISSN 1981-8610

DOI 10.17524/repec

Indexação da REPeC: Indexadores e Diretórios


Endereço postal

Academia Brasileira de Ciências Contábeis (ABRACICON)

SAS Quadra 5, Bloco J, Edifício do CFC

CEP 70.070-920 - Brasília/DF - Brasil