Audit Assertions e a Modificação de Opinião dos Auditores no Mercado Brasileiro

Thayanne Costa da Silva, José Alves Dantas

Resumo


Objetivo: Investigar a utilização das audit assertions para justificar as modificações de opinião nos relatórios brasileiros de auditoria.

Método: Trata-se de um estudo descritivo realizado por meio de análise de conteúdo, em que foram analisados 2.243 relatórios de 338 companhias de capital aberto não financeiras listadas na BM&FBOVESPA, de 2009 a 2015, sendo identificados 192 relatórios de auditoria com opinião modificada. Foi investigado se há prevalência de alguma assertion nas modificações de opinião e se é possível associar cada uma delas a determinados grupos contábeis patrimoniais e de resultado.

Resultados: As audit assertions Avaliação e Integridade são as mais utilizadas para justificar modificações de opinião. Quanto à associação entre as audit assertions e os grupos contábeis, foi constatado que as categorias de Existência/Ocorrência são geralmente associadas a contas de ativos e receitas, enquanto as de Integridade são relacionadas a passivos e despesas. Destacou-se o número relevante de justificativas baseadas em aspectos de continuidade operacional.

Contribuições: Este estudo contribui para o desenvolvimento da literatura nacional sobre auditoria e para a reflexão acerca da qualidade do trabalho de auditoria, principalmente por apresentar evidências sobre como e em que dimensão os auditores brasileiros utilizam as audit assertions para justificar a modificação de opinião sobre as demonstrações financeiras.

Palavras-chave


Auditoria; Audit Assertions; Categorias de Afirmação; Opinião Modificada; Relatório do Auditor.

Texto completo:

PORTUGUÊS ENGLISH (English)

Referências


American Accounting Association (AAA). (1972). A statement of basic auditing concepts. The Accounting Review, vol. 47 (supplement), p.18.

Batista, C. G., Pereira, A. C., Silva, A. F. & Imoniana, J. O. (2010). Impacto dos pareceres de auditoria na variação do retorno das ações preferenciais das empresas listadas na BOVESPA. Anais Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, São Paulo, SP, Brasil, 10. Recuperado em 04, fevereiro, 2017, de http://www.congressousp.fipecafi.org/anais/artigos102010/163.pdf

Boynton, W. C., Johnson, R. N., & Kell, W. G. (2002). Auditoria. São Paulo: Atlas.

Camargo, R. V. W. (2012). Determinantes dos Pareceres dos Auditores Independentes emitidos às Companhias Negociadas na BM&FBovespa. 206p. Dissertação de mestrado em Ciências Contábeis, Programa de Pós-Graduação em Contabilidade, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil.

Conselho Federal De Contabilidade (CFC). (2012). Normas Brasileiras de Contabilidade: NBC-TA – de Auditoria Independente. Brasília: CFC, 2012.

Damascena, L. G., Firmino, J. E., & Paulo, E. (2011). Estudo sobre os Pareceres de Auditoria: Análise dos Parágrafos de Ênfase e Ressalvas Constantes nas Demonstrações Contábeis das Companhias Listadas na Bovespa. Revista Contabilidade Vista & Revista, 22(2), pp. 125-154.

Dantas, J. A., Barreto, I. T., & Carvalho, P. R. M., & (2017). Relatório com Modificação de Opinião: Risco para o Auditor? Revista Contabilidade e Finanças, 14(33). DOI: http://dx.doi.org/10.5007/%25x

Dantas, J. A., Chaves, S. M. T., Silva, M. R., & Carvalho, R. P. (2011). Determinações de refazimento/republicação de demonstrações financeiras pela CVM: O papel dos auditores independentes. Revista Universo Contábil, 7(2), pp. 45-64. DOI: http://dx.doi.org/10.4270/ruc.2011212

Felix, W. L, & Kinney, W. R. (1982). Research in the Auditor's Opinion Formulation Process: State of the Art. The Accounting Review, 57(2), pp. 245–271.

Gramling, A. A., Rittenberg, L. E., & Johnstone, K. M. (2012). Auditoria. Tradução da 7ª edição norte-americana. São Paulo: Cengage Learning.

Hartmann, F. G. H. (2017). Accounting research: between natural science and practice. Revista Contabilidade & Finanças, 28(73), pp. 6-10. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1808-057x201790160

Hayes, R., Dassen, R., Schilder, A., & Wallage, P. (2005). Principles of auditing: an introduction to international standards on auditing. 2ª ed. Harlow, England: Prentice Hall.

International Auditing and Assurance Standards Board (IAASB). (2015). Handbook of International Quality Control, Auditing, Review, Other Assurance, and Related Services Pronouncements. IAASB.

Leslie, D. A., Aldersley, S. J., Cockbum, D. J., & Reiter, C. J. (1986). An Assertion Based Approach to Auditing. Paper presented at 1986 CAAA Conference at Winnipeg, Manitoba, May 28. – professor acho que aqui deve constar recuperado ,,,,

Martinez, A. L. (2001). Gerenciamento dos Resultados Contábeis: estudo empírico das companhias abertas brasileiras. 167 f. Tese de doutorado em Ciências Contábeis da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Prodanov, C. C., & Freitas, E.C. (2013). Metodologia do trabalho científico [recurso eletrônico]: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. 2ª ed. Novo Hamburgo: Feevale.

Public Company Accounting Oversight Board (PCAOB). (2010). AU 311: Planning and Supervision. Recuperado em 20, janeiro, 2017, de https://pcaobus.org/Standards/Auditing/Pages/AU311.aspx

Ricchiute, D. N. Auditing and assurance services. (2002). 7ª ed. Mason, USA: Thomson Learning.

Serra, S. A. E., & Rodriguez, M T. F. (2013). Propensão para emitir relatórios de auditoria modificados: análise da variável reputação e nível de especialização do auditor. Tourism & Management Studies, 3, pp. 1015-1024. Universidade do Algarve. Faro, Portugal.

Smieliauskas, W., & Smith, L. (1990). A theory of evidence based on audit assertions. Contemporary Accounting Research, 6(2), pp. 407-426. DOI: http://dx.doi.org/10.1111/j.1911-3846.1990.tb00766.x

Waller, W. S. (1993). Auditors' Assessments of Inherent and Control Risk in Field Settings. The Accounting Review, 68(4), pp. 783-803.




DOI: http://dx.doi.org/10.17524/repec.v12i1.1713

Creative Commons License
Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.


ISSN 1981-8610

DOI 10.17524/repec

Indexação da REPeC: Indexadores e Diretórios


Endereço postal

Academia Brasileira de Ciências Contábeis (ABRACICON)

SAS Quadra 5, Bloco J, Edifício do CFC

CEP 70.070-920 - Brasília/DF - Brasil