Atributos do desempenho profissional na visão de empresários contábeis da grande São Paulo

  • Ivam Ricardo Peleias Professor e Pesquisador na Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado – FECAP e da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC/SP
  • Rafael Augusto Lourenço Empresário Contábil e Professor na Faculdades Integradas de Ourinhos - FIO
  • Marcos Reinaldo Severino Peters Professor e Pesquisador Contábil na Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado - FECAP
  • Carlos Eduardo Farcin Lavarda Professor na Universidade Regional de Blumenau/FURB
Palavras-chave: Contabilidade, Empresário contábil, História oral, Profissão contábil.

Resumo

A Contabilidade possui um amplo universo de atuação, que requer profissionais hábeis e preparados para exercer a profissão. Uma possibilidade é ser empresário contábil, cujo perfil requer atributos e atitudes específicas. Este artigo relata resultados de uma investigação realizada por meio da técnica da história oral, relativos à identificação e análise de atributos valorizados no desempenho da profissão por empresários contábeis da grande São Paulo. Foi realizada uma pesquisa de campo com entrevistas presenciais a um grupo de sete empresários contábeis com notável distinção profissional, na qual se buscaram evidências da administração da organização contábil e sobre o perfil empreendedor dos entrevistados. O referencial teórico abordou as organizações contábeis e o comportamento empreendedor. Os dados obtidos revelaram atributos e perfis comuns necessários ao desempenho da profissão entre os entrevistados e as organizações contábeis que dirigem, tais como: iniciaram as organizações de forma simples, em um ambiente familiar; as organizações são estruturadas de forma departamentalizada delegando poderes; declararam ter atingido destaque no segmento da profissão contábil com muito trabalho, dedicação e persistência; executam suas atividades pautadas na ética, honestidade e seriedade; procuram novos desafios e empreendimentos e possuem como meta a valorização da profissão contábil.

Biografia do Autor

Ivam Ricardo Peleias, Professor e Pesquisador na Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado – FECAP e da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC/SP
Doutor em Ciências Contábeis pela FEA-USP
Rafael Augusto Lourenço, Empresário Contábil e Professor na Faculdades Integradas de Ourinhos - FIO
Mestre em Ciências Contábeis pela Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado - FECAP
Marcos Reinaldo Severino Peters, Professor e Pesquisador Contábil na Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado - FECAP
Doutor em Ciências Contábeis pela FEA-USP
Carlos Eduardo Farcin Lavarda, Professor na Universidade Regional de Blumenau/FURB
Doutor em Contabilidade pela Universitat de Valencia, Espanha

Referências

Abrantes, J. S. (2013, maio). José Serafim Abrantes: entrevista concedida (arquivo eletrônico, 2h50min18). São Paulo, SP, Brasil.

Alberti, V. (2005). Histórias dentro da história. In: C. B. Pinsky (Org.). Fontes históricas (pp. 155-202). São Paulo: Contexto.

Alcazar, J. M. C. (2013, maio). José Maria Chapina Alcazar: entrevista concedida (arquivo eletrônico, 1h55min07). São Paulo,SP, Brasil.

Ângelo, E. B. (2003). Empreendedorismo: a revolução do novo Brasil. Revista de Economia & Relações Internacionais, 1(2), 37-48. doi:10.1016/S0883-9026(01)00068-4

Ardichvili, A., Cardozo, R. & Ray, S.A. (2003). A theory of entrepeneural opportunity identification and development. Journal of Business Venturing, 18(1), pp. 105-123. doi:10.1016/S0883-9026(01)00068-4

Assaf Neto, A., & Araujo, A. M. P. (2004). Introdução à contabilidade. São Paulo: Atlas.

Belkaoui, A. R. (2004). Accounting theory (5nd ed.). London: Business Press, Thonson Learning.

Brundo, A. S., Macke, J., & Ghedine, T. (2004). Um estudo exploratório-descritivo das competências individuais em empresas de serviços contábeis de Porto Alegre. Revista Eletrônica de Administração – REAd, 10(5), pp. 1-20

Campos, E. V. (2007). As características do comportamento empreendedor. Recuperado em 9 abril, 2012, de http://guaiba.ulbra.tche.br/pesquisa/2007/artigos/administracao/ 302.pdf

Cervo, A. L., Bervian, P. A., & Silva, R. (2007) Metodologia científica (6ª ed.). São Paulo: Pearson Prentice Hall.

Cestari Jr., H. (2002). Gestão contábil no ciclo de vida das pequenas empresas. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil.

Chiomento, D. O. (2013, abril). Domingos Orestes Chiomento: entrevista concedida (arquivo eletrônico, 1h46min11). São Paulo,SP, Brasil.

Collins, M.; Bloom, R. (1991). The role of oral history in Accounting, Accounting, Auditing & Accountability Journal, 4(4), 22-31. http://dx.doi.org/10.1108/EUM0000000001931

Collis, J., & Hussey, R. (2005). Pesquisa em Administração: um guia prático para alunos de Graduação e Pós-Graduação (2ª ed.). Porto Alegre, RS: Bookman.

Cruz, R. R. N. (2009). Análise da motivação dos empreendedores do novo paradigma do Século XXI: um estudo de caso com empreendedores do primeiro, segundo e terceiro setor de Brasília. Trabalho de Conclusão de Curso de Bacharelado, Universidade de Brasília, Brasília, DF, Brasil.

Delgado, L. A. N. (2006). História oral – memória, tempo, identidades. Belo Horizonte, MG: Autêntica.

DeTienne, D. R., & Chandler, G. N. (2007). The Role of Gender in Opportunity Identification. Entrepreneurship: Theory & Practice, 31(3), 365-386. doi:10.1111/j.1540-6520.2007.00178.x

Dornelas, J. C. A. (2012). Empreendedorismo: transformando ideias em negócios (3ª ed. rev. atual.). Rio de Janeiro: Campus.

Emmendoerfer, M. L. (2001). As transformações na esfera do trabalho no final do século XX: Uma abordagem histórica e contingencial da questão do emprego e dos sindicatos. Revista de Ciências da Administração, 3(5), pp. 67-84. doi:10.5007/2175-8077.2011v13n30p88

Fabri, P. E. (2013, março). Pedro Ernesto Fabri: entrevista concedida (arquivo eletrônico, 2h27min12). São Paulo, SP, Brasil.

Ferreira, M. P., Santos, J. C., & Serra, F. A. R. (2010). Ser empreendedor: pensar, criar, moldar a nova empresa: exemplos e casos brasileiros. São Paulo: Saraiva.

Figueiredo, S., & Fabri, P. E. (2000). Gestão de empresas contábeis. São Paulo: Atlas.

Franco, S. (1999). Criando o próprio futuro: o mercado de trabalho na Era da competitividade total. São Paulo.

Freitas, R. K. V., & Teixeira, R. M. (2014). Empreendedorismo sustentável e a identificação de oportunidades: história oral de empreendedores de negócios sustentáveis. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, 8(1), pp.122-141.

Galloro, V. D. (2013, maio). Victor Domingos Galloro: entrevista concedida (arquivo eletrônico, 55min10). São Paulo, SP, Brasil.

Gatti, I. C. (2000). As empresas de serviços contábeis no ano 2000. Revista Brasileira de Contabilidade, (121), pp. 8-21.

Gomes, A. F., & Santana, W. G. P. (2010). A história oral na análise organizacional: a possível e promissora conversa entre a História e a Administração. Cadernos EBAPE.BR, 8(1), pp. 1-18.

Gonçalves, R., & Lisboa, T. (2007). Sobre o método da história oral em sua modalidade trajetórias de vida. Revista KatáLysis, 10(3), 83-92. Recuperado em 13 mar, 2014 de https://periodicos.ufsc.br/index.php/katalysis/article/view/S1414-49802007000300009.

Gonçalves, R., & Lisboa, T. (2007). Sobre o método da história oral em sua modalidade trajetórias de vida. Revista KatáLysis, 10(3), pp. 83-92. http://dx.doi.org/10.1590/S1414-49802007000300009

Greatti, L. (2005). Perfis empreendedores: análise comparativa das trajetórias de sucesso e do fracasso empresarial no município de Maringá, PR. Revista FACEF Pesquisa, Desenvolvimento e Gestão, 8(1), pp. 67-83.

Hammond, T., & Sikka, P. (1996). Radicalizing accounting history: The potential of oral history. Accounting, Auditing & Accountability Journal, 9(3), pp. 79. Doi: http://dx.doi.org/10.1108/09513579610122018.

Hendriksen, E. S., & Van Breda, M. F. (1999). Teoria da contabilidade (5ª ed. A. Z. Sanvicente, Trad.). São Paulo: Atlas.

Iudícibus, S. (Coord.). (2010). Contabilidade introdutória (11ª ed.). São Paulo: Atlas.

Koonar, K. (2007). CPA firms and functions. Recuperado em november 1, 2011, de http://www.easyarticlesubmit.com/Article/CPA-Firms-and-Functions/9024

Kotler, P. (1992). Administração de marketing: análise, planejamento, implementação e controle (2ª ed.). São Paulo: Atlas.

Lang, A. B. da S. G. (1996). História oral: muitas dúvidas, poucas certezas e uma proposta. In J. C. S. B. Meihy (Org.). (Re)Introduzindo a história oral no Brasil. São Paulo: Xamã.

Liba, A., Robles, C., & Bacci, J. (2001). Aplicação do sistema de custeio ABC em uma organização contábil. Revista Paulista de Contabilidade, 16(480), pp. 6-13.

Lyra, R. L. W. C. (2003). Uma contribuição a mensuração do resultado econômico da decisão de investimento em qualidade em empresas de serviços contábeis: uma abordagem da gestão econômica. Dissertação de Mestrado, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Marion, J. C. (2001). O ensino da contabilidade (2ª ed.). São Paulo: Atlas.

Marion, J. C. (2012). Contabilidade empresarial (16ª ed.). São Paulo: Atlas.

Matias, M. A., & Carvalho, L. E., Jr. (2012). Perfil empreendedor de empresários contábeis: um estudo com profissionais de Minas Gerais. Anais do Congresso Brasileiro de Contabilidade, 19, Belém, PA, Brasil.

McKeen, C. A., & Richardson, A. J. (1998). Education, employment and certification: An oral history of the entry of women into the canadian accounting profession. Business and Economic History, 27(2), pp. 500-521.

Mello, C. M., Neves, H. L., Valenzuela, K. M., & Machado, H. V. (2010). Do que estamos falando quando falamos empreendedorismo no Brasil? RAU - Revista de Administração da UNIMEP, 8 (3), pp. 80-98. Recuperado em 16 jun, 2014 de http://www.raunimep.com.br/ojs/index.php/regen/article/view/244/450

Mirshawka, V. (2004). Empreender é a solução. São Paulo: DVS.

Needles, B. E., Jr., Karen, C., Krylova, T., & Moustaffa, M. (2001, autumn). Strategy for implementation of IFAC international education guideline n. 9: “prequalification education, tests of professional competence and practical experience of professional accountants”: a task force report of the International Association for Accounting Education and Research (IAAER). Journal of International Financial Management & Accounting, 12(3), pp. 317-354. DOI: 10.1111/1467-646X.00076.

Nobrega, D. M., Carvalho, J. R. M., Carvalho, E. K. M. A., & Albuquerque, L. S. (2010). Percepção dos atributos de satisfação da qualidade em serviços contábeis: uma investigação no comércio varejista da cidade de Sousa-PB. P&D em Engenharia de Produção, 8(3), pp. 129-143, 2010.

Peleias, I. R., Castro, F. H. F., Jr., Cunha, M. L., & Segreti, J. B. (2011, abril). Planejamento estratégico em organizações contábeis na Cidade de São Paulo. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade - REPeC, 5(1), 73-98.

Peleias, I. R., Castro, F. H. F., Jr., Cunha, M. L., & Segreti, J. B. (2011, abril). Planejamento estratégico em organizações contábeis na Cidade de São Paulo. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade - REPeC, 5(1), pp. 73-98.

Peleias, I. R., Hernandes, D. C. R., Garcia, M. N., & Silva, D. (2007, junho). Marketing contábil: pesquisa com escritórios de contabilidade do Estado de São Paulo. UnB Contábil, 10(1), pp. 71-107.

Pereira, M. C. C. (2005, outubro). Empresas de serviços contábeis: condicionantes estratégicas para uma atuação empreendedora. Pensar Contábil, 7(29), 5-14.

Pereira, M. C. C. (2005, outubro). Empresas de serviços contábeis: condicionantes estratégicas para uma atuação empreendedora. Pensar Contábil, 7(29), pp. 5-14.

Resolução CFC n.º 1.390, de 30 março 2012. (2012). Dispõe sobre o Registro Cadastral das Organizações Contábeis. Conselho Federal de Contabilidade. Recuperado em 12 maio, 2012, de http://www.crcsp.org.br/portal_novo/legislacao_contabil/resolucoes/Res1390.htm

Resolução CFC n.º 560, de 28 outubro 1983. (1983). Dispõe sobre as prerrogativas profissionais de que trata o Artigo 25 do Decreto-Lei n.º 9.295, de 27 de maio de 1946. Conselho Federal de Contabilidade. Recuperado em 15 setembro, 2011, de http://www.cfc.org.br/sisweb/sre/docs/RES_560.doc

Santos, S. L. G. (2013, abril). Sebastião Luiz Gonçalves dos Santos: entrevista concedida (arquivo eletrônico, 2h5min7). São Paulo, SP, Brasil.

Schaefer, J., & Peluchette, J. V. E. (1995). Gender-based differences of partners in CPA firms: evidence from Kentucky. Journal of Applied Business Research, 11(1), pp. 60-67.

Shimomoto, H. (2013, maio). Hatiro Shimomoto: entrevista concedida (arquivo eletrônico, 1h14min38). São Paulo, SP, Brasil.

Shopes, L. (2005). Making sense of oral history. Recuperado em 12 março, 2015, de http://historymatters.gmu.edu/mse/oral/

Silva, J. S., & Solino, A. S. (2012). Perfil empreendedor: um estudo sobre a nova realidade do prestador de serviços de contabilidade. Anais do Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia, 9, Resende, RJ. Recuperado em 10 setembro, 2012, de http://www.aedb.br/seget/artigos04/103_Artigo%20 para%20SEGET2.doc

Spinelli, E. L. (2000, outubro). Estratégias na gestão de organizações contábeis. Revista Brasileira de Contabilidade, (125), pp. 37-45.

Thomé, I. (2001). Empresas de serviços contábeis: estrutura e funcionamento. São Paulo: Atlas.

Thompson, P. (1992). A voz do passado: história oral. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Topping, S., Duhon, D., & Bushardt, S. (2006). Oral history as a classroom tool: Learning management theory from the evolution of an organization. Journal of Management History, 12(2), pp. 154-166. Doi: http://dx.doi.org/10.1108/13552520610654050

Zeff, S. A. (1980). The promise of historical research in accounting: some personal experiences, in Nair, R. D. and Williams, T. H. (Eds.), Perspectives on Research, University of Visconsin-Madison, Madison, Wl.

Publicado
29-06-2015
Como Citar
Peleias, I. R., Lourenço, R. A., Peters, M. R. S., & Lavarda, C. E. F. (2015). Atributos do desempenho profissional na visão de empresários contábeis da grande São Paulo. Revista De Educação E Pesquisa Em Contabilidade (REPeC), 9(2). https://doi.org/10.17524/repec.v9i2.1209
Seção
Artigos