Relação entre Endogenia e a Avaliação CAPES dos Programas de Pós-Graduação em Ciências Contábeis no Brasil

  • Edmery Tavares Barbosa
  • Micheli Aparecida Lunardi
  • Luana Sara Bizatto
  • Vania Tanira Biavatti

Resumo

Objetivo: O presente estudo objetiva analisar a relação entre a endogenia na formação dos coordenadores e os conceitos atribuídos pela avaliação CAPES dos Programas de Pós-Graduação em Ciências Contábeis no Brasil. Método: Quanto à análise dos dados, a pesquisa classifica-se como descritiva e a abordagem quantitativa. A amostra compreendeu 23 coordenadores, dos cursos de Pós-Graduação das regiões do Brasil. Para a análise dos dados, utilizou-se Análise de Correspondências (ANACOR). Resultados: Os resultados evidenciaram que há proximidade entre os Endógenos Móvel e Puro com o “Conceito 3”, e Não Endógenos com o “Conceito 4” e “Conceito 5” nos programas de mestrado, evidenciando a existência de relação entre a endogenia e os conceitos CAPES. Contribuições: Apesar da revisão literária apontar que a endogenia é um dos aspectos negativos para o desempenho das pesquisas, concluiu-se que a prática pode propiciar a instituição uma posição de destaque na pesquisa. Ainda, como conclusão acredita-se que o deslocamento dos coordenadores para universidades não brasileiras, possivelmente influenciou o fato de suas universidades de origem terem ou não programas de doutorado. Desta forma, é possível que o deslocamento para universidades mais conceituadas contribui para melhorar a pesquisa em contabilidade e o conceito dos programas de doutorado de suas universidades de origem.

Referências

Altbach, P. G., Yudkevich, M. & Rumbley, L. E. (2015). Academic inbreeding: local challenge, global problem. Asia Pacific Education Review, 16(3), pp. 317-330. doi: http://dx.doi.org/10.1007/s12564-015-9391-8

Berelson, B. (1960). Graduate education in the United States. New York: McGraw-Hill.

Braga, M. M. S. & Venturini, A. E. J. F. (2013). Endogenia acadêmica em um programa de pós-graduaçao em direito. MEZZAROBA, Orides; TAVARES NETO, José Querino; VASCONCELOS, Silvia Andréia (Coord.). Direito, educação, ensino e metodologia jurídicos. Florianópolis: FUNJAB, 91-108. Recuperado em 23 de agosto, 2016 de http://www.publicadireito.com.br/artigos/?cod=30f0641c041f03d9

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. (2010). Plano Nacional de Pós-Graduação (PNPG) 2011-2020. Brasília, DF. Recuperado em 22 de agosto, 2016 de http://www.capes.gov.br/plano-nacional-de-pos-graduacao.

Degenne, A. & Forsé, M. (1994). Les réseaux sociaux. Une approche structurale en sociologie. Paris: Armand Colin.

Eisenberg, T. & Wells, M. T. (2000). Inbreeding in law school hiring: Assessing the performance of faculty hired from within. The Journal of Legal Studies, 29(S1), pp. 369-388. doi: https://www.journals.uchicago.edu/doi/abs/10.1086/468077

Frezatti, F., Aguiar, A. B., Araujo, C. W. & Malagueño, R. (2015). A Pesquisa em Contabilidade Gerencial no Brasil: Desenvolvimento, Dificuldades e Oportunidades. Revista Universo Contábil, 11(1), pp. 47-68. doi: http://dx.doi.org/10.4270/ruc.2015103

Gorelova, O. & Lovakov, A. (2016). Academic Inbreeding and Research Productivity Of Russian Faculty Members. National Research University Higher School of Economics, pp. . 1-37. doi: http://dx.doi.org/10.2139/ssrn.2778004

Hair, J. F., Black, W. C., Babin, B. J., Anderson, R. E. & Tatham, R. L. (2009). Análise multivariada de dados. Bookman Editora.

Horta, J. S. B. & Moraes, M. C. M. D. (2005). O sistema CAPES de avaliação da pós-graduação: da área de educação à grande área de ciências humanas. Revista Brasileira de Educação, 30(4), pp. 95-116. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-24782005000300008

Horta, H., Sato, M. & Yonezawa, A. (2011). Academic inbreeding: Exploring its characteristics and rationale in Japanese universities using a qualitative perspective. Asia Pacific Education Review, 12(1), pp. 35-44. doi: http://dx.doi.org/10.1007/s12564-010-9126-9

Horta, H., Veloso, F. M. & Grediaga, R. (2010). Navel gazing: Academic inbreeding and scientific productivity. Management Science, 56(3), pp. 414-429. doi: https://doi.org/10.1287/mnsc.1090.1109

Horta, H. (2013). Deepening our understanding of academic inbreeding effects on research information exchange and scientific output: new insights for academic based research. Higher Education, 65(4), pp. 487-510. doi: http://dx.doi.org/10.1007/s10734-012-9559-7

Horta, H. & Yudkevich, M. (2016). The role of academic inbreeding in developing higher education systems: Challenges and possible solutions. Technological Forecasting and Social Change, 113, pp. 363-372. doi: http://dx.doi.org/10.1016/j.techfore.2015.06.039

Inanc, O., & Tuncer, O. (2011). The effect of academic inbreeding on scientific effectiveness. Scientometrics, 88(3), pp. 885-898. doi: http://dx.doi.org/10.1007/s11192-011-0415-9

Leite Filho, G. A. (2008). Padrões de produtividade de autores em periódicos e congressos na área de contabilidade no Brasil: um estudo bibliométrico. RAC-Revista de Administração Contemporânea, 12(2), pp. 533-554. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S1415-65552008000200011

Lima, F. D. C., Oliveira, A. C. L., Araújo, T. S. & Miranda, G. J. (2015). O choque com a realidade: dormi contador e acordei professor. REICE. Revista Iberoamericana sobre Calidad, Eficacia y Cambio en Educación, 13(1), pp. 49-67.

Moreira, M. A. (2004). O mestrado (profissional) em ensino. Revista Brasileira de Pós-Graduação, 1(1), pp. 131-142. doi: http://dx.doi.org/10.21713/2358-2332.2004.v1.26

Morichika, N. & Shibayama, S. (2014). Impact of inbreeding on scientific productivity: A case study of a Japanese university department. Research Evaluation, 24(2), pp.146-157. doi: https://doi.org/10.1093/reseval/rvv002

Nelson, R. & Rosenberg, N., 1993. Technical innovation and national systems. In: Nelson, R. (Ed.), National Innovation Systems. Oxford University Press, Oxford.

Pan, S. (1993). A study of faculty inbreeding at eleven land-grant universities. Doctoral dissertation, Iowa State University, Ames, Iowa.

Sivak, Y. & Yudkevich, M. (2008). Academic inbreeding: pro and contra. Educational Studies, (1), pp. 170-187. doi: http://dx.doi.org/10.17323/1814-9545-2009-1-170-187

Smyth, R. & Mishra, V. (2014). Academic inbreeding and research productivity and impact in Australian law schools. Scientometrics, 98(1), pp. 583-618. doi: http://dx.doi.org/10.1007/s11192-013-1052-2

Stewart, G. B. (1992). Institutional inbreeding among mathematics faculty in American colleges and universities. (Doctoral dissertation, University of North Texas, 1992). Dissertation Abstracts International, 53, p. 2710.

Raupp, F. M. & Beuren, I. M. (2006). Metodologia da pesquisa aplicável às ciências sociais. Como elaborar trabalhos monográficos em contabilidade: teoria e prática. São Paulo: Atlas. 3, pp. 76-97.

Tavares, O., Cardoso, S., Carvalho, T., Sousa, S. B. & Santiago, R. (2015). Academic inbreeding in the Portuguese academia. Higher Education, 69(6), pp. 991-1006. doi: http://dx.doi.org/10.1007%2Fs10734-014-9818-x

Publicado
25-05-2018
Como Citar
Barbosa, E., Lunardi, M., Bizatto, L., & Biavatti, V. (2018). Relação entre Endogenia e a Avaliação CAPES dos Programas de Pós-Graduação em Ciências Contábeis no Brasil. Revista De Educação E Pesquisa Em Contabilidade (REPeC), 12(2). https://doi.org/10.17524/repec.v12i2.1673
Seção
Artigos

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##