Uma Abordagem para Análise do Risco de Crédito Utilizando o Modelo Fleuriet

Palavras-chave: Modelo Dinâmico, Risco de crédito, Falências, Indicadores Financeiros

Resumo

Objetivo: O presente trabalho tem como objetivo construir um modelo capaz de avaliar o risco de crédito em empresas brasileiras de capital aberto, utilizando indicadores do modelo Fleuriet de análise financeira. Método: Metodologicamente, a pesquisa foi definida como quantitativa e quanto à natureza é descritiva. As demonstrações financeiras foram coletadas por meio do Economática e do site BM&FBOVESPA. A amostra foi composta por 121 empresas, sendo 70 solventes e 51 insolventes de diversos setores. Resultados: Para os indicadores tipo de estrutura financeira, capital de giro e necessidade de capital de giro, pode-se dizer que as empresas buscam desempenhar um modelo de crescimento constante, expandindo ou ganhando mercados, uma vez que existe sempre necessidade de capital de giro adicional ao longo do tempo. Os resultados encontrados para o termômetro de liquidez demonstram a importância das contas de caráter financeiro denominadas contas de tesouraria para se calcular a liquidez empresarial e a capacidade de solvência da empresa no curto prazo. Por fim, o endividamento financeiro enquanto índice de estrutura contribuiu significativamente para o modelo. Contribuições: Este estudo pode contribuir com a literatura nacional ao evidenciar que alguns dos indicadores do modelo Fleuriet são significativos para avaliar o risco de crédito em empresas brasileiras de capital aberto.

Biografia do Autor

José Willer do Prado, Universidade Federal de Lavras - UFLA
Departamento de Administração e Economia (DAE)
Francisval de Melo Carvalho, Universidade Federal de Lavras - UFLA
Departamento de Administração e Economia (DAE)
Gideon Carvalho de Benedicto, Universidade Federal de Lavras - UFLA
Departamento de Administração e Economia (DAE)
Valderí de Castro Alcântara, Universidade Federal de Lavras - UFLA
Departamento de Administração e Economia (DAE)
Antonio Carlos dos Santos, Universidade Federal de Lavras - UFLA
Departamento de Administração e Economia (DAE)

Referências

Akkoç, S. (2012). An empirical comparison of conventional techniques, neural networks and the three stage hybrid Adaptive Neuro Fuzzy Inference System (ANFIS) model for credit scoring analysis: The case of Turkish credit card data. European Journal of Operational Research, 222(1), pp.168-178. doi: https://dx.doi.org/10.1016/j.ejor.2012.04.009

Altman, E. I. (1968). Financial ratios, discriminant analysis and the prediction of corporate bankruptcy. The journal of finance, 23(4), pp. 589-609. doi: https://dx.doi.org/10.1111/j.1540-6261.1968.tb00843.x

Araújo, E. A. T., de Oliveira Costa, M. L. & de Camargos, M. A. (2013). Mapeamento da produção científica sobre o Modelo Fleuriet no Brasil. Gestão Contemporânea, 14(1).

Assaf Neto, A. (2010). Finanças corporativas e valor (5ª ed.). São Paulo: Atlas.

Assaf Neto, A. & Silva, C. A. T. (2012). Administração do capital de giro (4ª ed.). São Paulo: Atlas.

Beaver, W. H. (1966). Financial ratios as predictors of failure. Journal of accounting research, 4(3), pp. 71-111. doi: https://dx.doi.org/10.2307/2490171

Braga, R. (1991). Análise avançada do capital de giro. Caderno de estudos FIPECAFI, 3(3), pp. 1-34. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S1413-92511991000100003

Brasil (1945). Decreto-Lei nº 7.661, de 21 de junho de 1945. Presidência da República. Brasília, DF, Brasil.

Brasil (1976). Lei nº 6.404, de 15 de dezembro de 1976. Dispõe sobre as sociedades por ações. Diário Oficial da União. Brasília, DF: Exército Brasileiro.

Brasil (2005). Lei nº 11.101, de 9 de fevereiro de 2005. Regula a recuperação judicial, a extrajudicial e a falência do empresário e da sociedade empresaria. Diário Oficial da União. Brasília, DF: Exército Brasileiro.

Brasil (2007). Lei nº 11.638, de 28 de dezembro de 2007. Altera e revoga dispositivos da Lei n°. 6.404, de 15 de dezembro de 1976, e da Lei n. 6.385, de 7 de dezembro de 1976, e estende às sociedades de grande porte disposições relativas à elaboração e divulgação de demonstrações financeiras. Diário Oficial da União. Brasília, DF: Exército Brasileiro.

Brasil (2009). Lei nº 11.941, de 27 de maio de 2009. Altera a legislação tributária federal relativa ao parcelamento ordinário de débitos tributários; concede remissão nos casos em que especifica; institui regime. Diário Oficial da União. Brasília, DF: Exército Brasileiro.

Brasil, H. V. & Brasil, H. G. (2008). Gestão financeira das empresas: um modelo dinâmico (4ª ed.). Rio de Janeiro: Qualitymark.

Brito, G. A. S., Assaf Neto, A. & Corrar, L. J. (2009). Sistema de classificação de risco de crédito: uma aplicação a companhias abertas no Brasil. Revista Contabilidade & Finanças, 20(51), pp. 28-43. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S1519-70772009000300003

Carvalho, A. T. (2004). Modelo de previsão de insolvência para empresas comerciais. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil.

Charnet, R. , Freire, C.A.L., Charnet, E.M.R. & Bonvino, H. (2008). Análise de modelos de regressão linear com aplicações (2ª ed.). Campinas: Unicamp.

Corrar, L. J. , Paulo, E. & Dias Filho, J.M. (2014). Análise multivariada: para os cursos de administração, ciências contábeis e economia. São Paulo: Atlas.

Durand, D. (1941). Risk elements in consumer installment lending. Studies in consumer installment financing, 8, pp. 1-101.

Eifert, D. S. (2003). Análise quantitativa na concessão de crédito versus inadimplência: um estudo empírico. Dissertação de mestrado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil.

Elizabetsky, R. (1976). Um modelo matemático para decisão no banco comercial. Dissertação de mestrado, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Field, A. (2013). Descobrindo a estatística usando o SPSS. Porto Alegre: Artmed.

Finlay, S. (2011). Multiple classifier architectures and their application to credit risk assessment. European Journal of Operational Research, 210(2), pp. 368-378. doi: https://dx.doi.org/10.1016/j.ejor.2010.09.029

Fisher, R. A. (1936). The use of multiple measurements in taxonomic problems. Annals of Eugenics, 7(2), pp. 179-188. doi: https://dx.doi.org/10.1111/j.1469-1809.1936.tb02137.x

Fleuriet, M., Kehday, R. & Blanc, G. (1978). A dinâmica financeira das empresas brasileiras: um método de análise, orçamento e planejamento financeiro. Belo Horizonte: Fundação Dom Cabral.

Fleuriet, M., Kehday, R. & Blanc, G. (2003). O Modelo Fleuriet: a dinâmica financeira das empresas brasileiras: um método de análise, orçamento e planejamento financeiro (3a ed.). Rio de Janeiro: Campus.

Fleuriet, M. & Zeidan, R. (2015). O modelo dinâmico de gestão financeira. Riode Janeiro: Alta Books.

Garcia, F., Gimenez, V. & Guijarro, F. (2013). Credit risk management: A multicriteria approach to assess creditworthiness. Mathematical and Computer Modelling, 57(7-8), 2009-2015. doi: https://dx.doi.org/10.1016/j.mcm.2012.03.005

Garcia, F., Guijarro, F. & Moya, I. (2013). Monitoring credit risk in the social economy sector by means of a binary goal programming model. Service Business, 7(3), pp. 483-495. doi: https://dx.doi.org/10.1007/s11628-012-0173-7

Hair, J. F.,Black, W.C., Babin, B.J., Anderson, R.E. & Tatham, R.L. (2009). Análise multivariada de dados. 6ª. ed. Porto Alegre: Bookman, 2009.

Harris, T. (2013). Quantitative credit risk assessment using support vector machines: Broad versus Narrow default definitions. Expert Systems with Applications, 40(11), pp. 4404-4413. doi: https://dx.doi.org/10.1016/j.eswa.2013.01.044

Horta, R. A. M. (2010). Uma metodologia de mineração de dados para a previsão de insolvência de empresas brasileiras de capital aberto. Tese de doutorado, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Jones, G. D. C. & Jacinto, A. C. O. (2013). Management analysis of working capital investments by fleuriet model in an agribusiness: A case study. Revista em Agronegocio e Meio Ambiente, 6(1), pp. 9-30.

Kanitz, S. C. (1974). Como prever falências de empresas. Revista Negócios em Exame, pp. 95-102.

Kanitz, S. C. (1978). Como prever falências. São Paulo: McGraw-Hill do Brasil.

Kou, G. & Wu, W. (2014). An Analytic Hierarchy Model for Classification Algorithms Selection in Credit Risk Analysis. Mathematical Problems in Engineering, 2014(2014), pp. 1-7. doi: https://dx.doi.org/10.1155/2014/297563

Marconi, M. A. & Lakatos, E. M. (2011). Metodologia do trabalho científico: procedimentos básicos, pesquisa bibliográfica, projeto e relatório, publicações e trabalhos científicos (7ª ed.) São Paulo: Atlas.

Marques, J. A. V. C., & Braga, R. (1995). Análise dinâmica do capital de giro: o Modelo Fleuriet. Revista de Administração de Empresas, 35(3), pp. 49-63. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0034-75901995000300007

Martins, M. S. (2003). A previsão de insolvência pelo modelo de Cox: uma contribuição para a análise de companhias abertas brasileiras. Dissertação de mestrado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil.

Matias, A. B. (1978). Contribuição às técnicas de análise financeira: um modelo de concessão de crédito. Dissertação de mestrado, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Melo, A. C. & Coutinho, E. S. (2007). O modelo Fleuriet como indicador conjunto de solvência e rentabilidade. Anais do EnANPAD, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 31.

Minussi, J. A., Damacena, C. & Ness Jr., W. L. (2002). Um Modelo de Previsão de Solvência Utilizando Regressão Logística. Revista de Administração Contemporânea, 6(3), pp. 10-128. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S1415-65552002000300007

Nascimento, C., Espejo, M. M. D. S. B., Voese, S. B. & Pfitscher, E. D. (2012).Tipologia de Fleuriet e a crise financeira de 2008. Revista Universo Contábil, 8(4), pp. 40-59. doi: https://dx.doi.org/10.4270/ruc.2012430

Olinquevitch, J. L. & Santi Filho, A. (2009). Análise de balanços para controle gerencial: demonstrativos contábeis exclusivos do fluxo de tesouraria (5ª ed.) São Paulo: Atlas.

Oreski, S. & Oreski, G. (2014). Genetic algorithm-based heuristic for feature selection in credit risk assessment. Expert Systems with Applications, 41(4), pp. 2052–2064. doi: https://dx.doi.org/10.1016/j.eswa.2013.09.004

Padoveze, C. L. & Benedicto, G. C. (2010). Análise das demonstrações financeiras (3ª ed.). São Paulo: Cengage Learning.

Pereira, J. M., Domínguez, M. Á. C. & Ocejo, J. L. S. (2007). Modelos de previsão do fracasso empresarial: aspectos a considerar. Tékhne-Revista de Estudos Politécnicos, 7, pp. 111-148.

Prado, J. W., Alcântara, V.C., Carvalho, F.M., Vieira, K.C., Machado, L.K.C. & Tonelli, D.F. (2016). Multivariate analysis of credit risk and bankruptcy research data: a bibliometric study involving different knowledge fields (1968–2014). Scientometrics. doi: https://dx.doi.org/10.1007/s11192-015-1829-6

Rasoto, A., Ishikawa, G., Rasoto, V.I., Stankowitz, R.F., Pietrovski, E.F. & Carvalho, H.A. (2016). Business competitiveness: Model of computerized financial planning. In IAMOT 2016 - 25th International Association for Management of Technology Conference, Proceedings: Technology - Future Thinking, pp. 1191-1203.

Sabato, G. (2009). Modelos de Scoring de risco de crédito. Revista Tecnologia de Crédito, 1(68), pp. 29-47.

Santos, G. T. & Francisco, J. R. D. (2016). Liquidity indicators versus dynamic model: application in period pre and post-crisis banking segment. Revista Contabilidade e Controladoria, 8(2), pp. 8-22. doi: https://dx.doi.org/10.5380/rcc.v8i2.37471

Sanvicente, A. Z. & Minardi, A. M. A. F. (1998). Identificação de indicadores contábeis significativos para a previsão de concordata de empresas. São Paulo: Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais,Working Paper.

Silva, G. R., Lopes, J. E. D., Pederneiras, M. M. M., Tavares, M. F. N. & Silva, E. E. D. (2016). A study on Fleuriet model applied in financial management of electric companies listed on the BM & FBOVESPA. Revista Ambiente Contábil, 8(2), pp. 92-109.

Silva, J. P. (1983). Administração de crédito e previsão de insolvência. São Paulo: Atlas.

Silva, J. P. (2012). Análise financeira das empresas (11ª ed.) São Paulo: Atlas.

Vergara, S. C. (2008). Projetos e relatórios de pesquisa em administração (9ª ed.). São Paulo: Atlas.

Vieira, M. V. (2008). Administração estratégica do capital de giro (2ª ed.). São Paulo: Atlas.

Viera, L. B., Brito, S. S., Santana, J. R. B., Sanches, S. L. R. & Galdamez, E. V. C. (2017). The effects of mergers and acquisitions on financial ratios of Brazilian publicly traded companies. Rege-Revista De Gestao, 24(3), pp. 235-246. doi: https://dx.doi.org/10.1016/j.rege.2016.08.003

Virgillito, S. B. & Famá, R. (2008). Estatística multivariada na construção de modelos para análise do risco de crédito e previsão de insolvência de empresas. Revista Integração, 53(13), pp. 105-118.

Yu, L., Wang, S. & Lai, K. K. (2008). Credit risk assessment with a multistage neural network ensemble learning approach. Expert Systems with Applications, 34(2), pp. 1434-1444. doi: https://dx.doi.org/10.1016/j.eswa.2007.01.009

Publicado
30-08-2018
Como Citar
Prado, J., Carvalho, F., Benedicto, G., Alcântara, V., & Santos, A. (2018). Uma Abordagem para Análise do Risco de Crédito Utilizando o Modelo Fleuriet. Revista De Educação E Pesquisa Em Contabilidade (REPeC), 12(3). https://doi.org/10.17524/repec.v12i3.1816
Seção
Artigos