ADOÇÃO DE IFRS E GERENCIAMENTO DE RESULTADO NAS EMPRESAS BRASILEIRAS DE CAPITAL ABERTO

  • Roberto Midoguti Joia Assistente A no Banco do Brasil e Professor da UNIP
  • Silvio Hiroshi Nakao Professor da Universidade de São Paulo em Ribeirão Preto
Palavras-chave: Gerenciamento de resultados, Accruals Discricionários, Adoção de IFRS.

Resumo

O Brasil adotou, em 2007, as normas internacionais de contabilidade - International Financial Reporting Standards (IFRS). Pesquisas realizadas com empresas de capital aberto, em vários países do mundo, indicam que essa nova norma tende a melhorar a qualidade da informação e deixá-la mais comparável e transparente. Diante disso, o estudo tem como objetivo verificar se houve mudança nos níveis de gerenciamento de resultados após 2010 e se foi em função da adoção completa das IFRS pelas companhias brasileiras de capital aberto (com exceção das instituições financeiras). Os dados foram extraídos das demonstrações contábeis trimestrais dos bancos de dados do Economática e da Comissão de Valores Mobiliários referentes ao período de 2006 a 2011. Para alcançar o objetivo da pesquisa, foram feitos dois testes. O primeiro mostrou que os accruals discricionários, calculados por meio do Modelo de Jones Modificado, tiveram média menor após 2010. Em seguida, foi elaborada a análise de regressão com dados dispostos em painel com correção de Newey-West. Os resultados não confirmaram a hipótese de que a adoção das IFRS afetou o nível de gerenciamento de resultados no período analisado, mas mostraram que o tamanho e o endividamento explicam significativamente os accruals discricionários, independentemente da adoção das IFRS. Os resultados sugerem que empresas maiores e com elevada proporção de capital próprio tendem a produzir relatórios com melhor qualidade, independentemente da adoção das IFRS.

Biografia do Autor

Roberto Midoguti Joia, Assistente A no Banco do Brasil e Professor da UNIP
Mestre em Controladoria e Contabilidade pela FEARP/USP
Silvio Hiroshi Nakao, Professor da Universidade de São Paulo em Ribeirão Preto
Livre-Docente em Contabilidade pela FEARP/USP

Referências

Almeida, J. E. F. (2010) Qualidade da informação contábil em ambientes competitivos. Tese (Doutorado em Ciências Contábeis) – Departamento de Contabilidade e Atuária, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo.

Akerlof, G. A. (1970). The market for “lemons”: quality uncertainty and the market mechanism. Quarterly Journal of Economics, 84(3), p. 488-500.

Barth, M. E., Landsman, W. R. & Lang, M. H. (2008). International Accounting Standards and Accounting Quality. Journal of Accounting Research, 46(3), p. 467-498. doi: 10.1111/j.1475-679X.2008.00287.x

Burgstahler, D. & Dichev, I. (1997). Earnings management to avoid earnings decreases and losses. Journal of Accounting and Economics, 24(1), p. 99-126.

Cameron, A. C., Trivedi, P. K. (2005). Microeconomics: methods and applications. New York: Cambridge University Press.

Campos, T. L. C. (2006). Estrutura da propriedade e desempenho econômico: uma avaliação empírica para as empresas de capital aberto no Brasil. Revista de Administração, 41(4), p. 369-380.

Cardoso, R. L. (2005). Regulação econômica e escolhas de práticas contábeis: evidências no mercado de saúde suplementar. São Paulo, 2005. 163 f. Tese (Doutorado em Ciências Contábeis) – Departamento de Contabilidade e Atuária, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo.

Cardoso, R. L., Saraiva, E., Tenório, F. G. & Silva, M. A. (2009). Regulação da contabilidade: teorias e análise da convergência dos padrões contábeis brasileiros aos IFRS. Revista de Administração Pública, 43(4), p. 773-799.

Coelho, A. C. D. & Lopes, A. B. (2007). Avaliação da prática de gerenciamento de resultados na apuração do lucro por companhias abertas brasileiras conforme seu grau de alavancagem financeira. Revista de Administração Contemporânea, 11(Esp.2), p. 121-144.

Dechow P. M., Sloan, R. G. & Sweeney, A. P. (1995). Detecting earnings management. The Accounting Review, 70(2), p. 193-225.

Dechow, P. M. & Dichev, I. D. (2002). The quality of accruals and earnings: the role of accrual estimation errors. The Accounting Review, 77, 35-39.

Dechow, P. M., Ge, W. & Schrand, C. (2010). Understanding earnings quality: A review of proxies, their determinants and their consequences. Journal of Accounting and Economics, 50(1-2), p. 344-401.

Defond, M. L. & Jiambalvo, J. (1994). Debt covenant violation and manipulation of accruals. Journal of Accounting and Economics, 17(1-2), p. 145-176.

Defond, M. L. (2010). Earnings quality research: Advances, challenges and future research. Journal Accounting and Economics, 50(2-3), p. 402-409.

Dhaliwal, D. S. (1980). The effects of the firm’s capital structure on the choice of accounting methods. The Accounting Review, 55(1), p. 78-84.

Easley, D. & O’Hara, M. (2004). Information and the cost of capital. The Journal of Finance, 59(4), p. 1553-1583.

Elbannan, M. A. (2011). Accounting and stock market effects of international accounting standards adoption in an emerging economy. Review of Quantitative Finance and Accounting, 36(2), p. 207-245.

Fields, T. D., Lys, T. Z. & Vincent, L. (2001). Empirical research on accounting choice. Journal of Accounting and Economics, (31), p. 255-307.

Francis, J., Lafond, R., Olsson, P. & Schipper, K. (2005). The market pricing of accruals quality. Journal of Accounting and Economics, (39), p. 295-327.

Goncharov, I., Zimmermann, J. (2006). Earnings management when incentives compete: the role of tax accounting in Russia. Journal of International Accounting Research, 5(1), 41-65.

Gu, Z., Lee, C. W, J. & Rosett, J. G. (2005). What determines the variability of accounting accruals? Review of Quantitative Finance and Accounting, (24), p. 313-334.

Guay, W. R., Kothari, S. P. & Watts, R. (1996). A market-based evaluation of discretionary accruals model. Journal of Accounting Research, 34(Supl.), p. 85-105.

Hair, J. F., Anderson, R. E., Tatham, R. L., Black, W. C. & Babin, B. J. (2005). Análise multivariada de dados. 5. ed. Porto Alegre: Bookman.

Hausman, J. A. (1978). Specification tests in econometrics. Econometrica, 46(6), p. 1251-1271.

Healy, P. M. (1985). The effect of bonus schemes of accounting decisions. Journal of Accounting and Economics, (7), p. 85-107.

Healy, P. M. (1996). Discussion of a market-based evaluation of discretionary accrual models. Journal of Accounting Research, 34(Supl.), p. 107-115.

Iatridis, G. & Rouvolis, S. (2010). The post-adoption effects of the implementation of International Reporting Standards in Greece. Journal of International Accounting, Auditing and Taxation, (19), p. 55-65.

Iatridis, G. (2010). International Financial Reporting Standards and the quality of financial statement information. International Review of Financial Analysis, 19(3), p. 193-204.

Iatridis, G. (2012). Audit quality in common-law and code-law emerging markets: evidence on earnings conservatism, agency costs and cost of equity. Emerging Markets Review, 13(2), p. 101-117.

Jeanjean, T. & Stolowy, H. (2008). Do accounting standards matter? An exploratory analysis of earnings management before and after IFRS adoption. Journal of Accounting Public Policy, (27), p. 480-494.

Jensen, M. & Meckling, W. H. (1976). Theory of the firm: managerial behavior, agency costs and ownership structure. Journal of Financial Economics, 3(4), p. 305-360.

Jones, J. J. (1991). Earnings management during import relief investigations. Journal of Accounting Research, 29(2), p. 193-228.

Kang, S. H. & Sivaramakrishnan, K. (1995). Issues in testing earnings management: an instrumental variable approach. Journal of Accounting Research, 33(2), p. 353-367.

Kohlbeck, M. & Warrfield, T. (2010). Accounting standard attributes and accounting quality: Discussion and analysis. Research in Accounting Regulation, 22(2), p. 59-70.

Kothari, S. P. & Leone, A. J., Wasley, C. E. (2005). Performance matched discretionary accrual measures. Journal of Accounting and Economics, 39(1), p. 163-197.

Land, J. & Lang, M. (2002). Empirical evidence on the evolution of international earnings. The Accounting Review, 77(Supl.), p. 115-133.

Lei n. 11.638, de 28 de dezembro de 2007. (2007) Altera e revoga dispositivos da Lei n. 6.404, de 15 de dezembro de 1976, e da Lei n. 6.385, de 7 de dezembro de 1976, e estende às sociedades de grande porte disposições relativas à elaboração e divulgação de demonstrações financeiras. Diário Oficial da União, edição extra, Poder Executivo, Brasília, DF, 28 dez. 2007.

Lei n. 11.941, de 27 de Maio de 2009. (2009) Altera a legislação tributária federal relativa ao parcelamento ordinário de débitos tributários; concede remissão nos casos em que especifica; institui regime tributário de transição, alterando o Decreto no 70.235, de 6 de março de 1972; e dá outras providências. Diário Oficial da União, edição extra, Poder Executivo, Brasília, DF, 28 maio 2009.

Lei n. 6.404, de 15 de dezembro de 1976. (1976) Dispõe sobre as Sociedades por Ações. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília, DF, 17 dez. 1976. Suplemento.

Leuz, C., Nanda, D. & Wysocki, P. D. (2003). Earnings management and investor protection: an international comparison. Journal of financial economics, (69), p. 505-527.

Lopes, A. B. (2002). A informação contábil e o mercado de capitais. São Paulo: Pioneira Thomson Learning.

Martinez, A. L. (2001). Gerenciamento dos resultados contábeis: estudo empírico das companhias abertas brasileiras. Tese (Doutorado em Ciências Contábeis) – Departamento de Contabilidade e Atuária, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo.

Martins, E., Martins, V. A. & Martins, E. A. (2007). Normatização contábil: ensaio sobre sua evolução e o papel do CPC. Revista de Informação Contábil, 1(1), p. 7-30.

McNichols, M. & Wilson, G. P. (1988). Evidence of Earnings management from the provision for bad debts. Journal of Accounting Research, 26(Supl.), p. 1-31.

Medida Provisória n. 449, de 3 de dezembro de 2008. (2008) Altera a legislação tributária federal relativa ao parcelamento ordinário de débitos tributários, concede remissão nos casos em que especifica, institui regime tributário de transição e dá outras providências. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília, DF, 4 dez. 2008.

Myers, J. N., Myers, L. A. & Skinner, D. J. (2007). Earnings momentum and earnings management. Journal of Accounting, Auditing, and Finance, 22(2), p. 249-284.

Newey, W. K. & West, K. D. (1987). A simple, positive semi-definite, heteroskedasticity and autocorrelation consistent covariance matrix. Econometrica, 55(3), p. 703-708.

Pae, J. (2005). Expected accrual model: the impact of operating cash flows and reversals of accruals. Review of Quantitative Finance and Accounting, (24), p. 5-22.

Paulo, E. (2007). Manipulação das informações contábeis: uma análise teórica e empírica sobre os modelos operacionais de detecção de gerenciamento de resultados. Tese (Doutorado em Contabilidade) – Departamento de Contabilidade e Atuária, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo.

Subramanyam, K. R. (1996). The pricing of discretionary accruals. Journal of Accounting and Economics, 22(1-3), p. 249-281.

Sweeney, A. (1994). Debt-covenant violations and managers’ accounting responses. Journal of Accounting and Economics, 17(3), p. 281–308.

Tendeloo, B. V. & Vanstraelen, A. (2005). Earnings management under German GAAP versus IFRS. European Accounting Review, 14(1), p. 155-180.

Valle, M. R. (2007). A estrutura de capital das empresas brasileiras num ambiente de altas taxas de juros e na presença de fontes diferenciadas de financiamento. Tese (Livre-docência) – Departamento de Contabilidade, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo.

Watts, R. & Zimmerman, J. (1990). Positive accounting theory: a ten-year perspective. The Accounting Review, 65(1), p. 131–156.

Xiong, Y. (2006). Earnings management and its measurement: a theoretical perspective. The Journal of American Academy of Business, 9(2), p. 214-219.

Publicado
31-03-2014
Como Citar
Joia, R., & Nakao, S. (2014). ADOÇÃO DE IFRS E GERENCIAMENTO DE RESULTADO NAS EMPRESAS BRASILEIRAS DE CAPITAL ABERTO. Revista De Educação E Pesquisa Em Contabilidade (REPeC), 8(1). https://doi.org/10.17524/repec.v8i1.1014
Seção
Artigos