Os Modos Regulatórios e suas Relações entre os Estudantes de Ciências Contábeis

  • Valter da Silva Faia Universidade Estadual de Maringá
  • Juliana Almeida Trevisan Universidade Estadual de Maringá
Palavras-chave: Modos regulatórios, Ciências Contábeis, Desempenho acadêmico, Expectativas profissionais.

Resumo

Objetivo: Baseado na teoria dos Modos Regulatórios, de Kruglanski, Thompson, Higgins, Atash, Pierro, Shah e Spiegel (2000) os indivíduos apresentam duas funções de autorregulação. A função de locomoção corresponde à forte orientação para a ação. A função de avaliação corresponde à capacidade de avaliação crítica dos meios e dos fins. Neste estudo, buscou-se associar os modos regulatórios dos alunos com aspectos da formação profissional no curso de graduação em Ciências Contábeis, como a satisfação com o curso, o desempenho acadêmico e aspectos da carreira profissional.

Método: Um levantamento foi realizado com 94 alunos de um curso de graduação em Ciências Contábeis. Após realizados os testes de validade e confiabilidade das escalas, adotou-se o teste de Correlação, de Pearson, para análise dos resultados.

Resultados: O modo regulatório de locomoção dos alunos se associou positivamente com a satisfação e o desempenho no curso. O perfil de locomoção também apresentou associação positiva com a intenção de atuar, profissionalmente, na área contábil, especialmente em oportunidades que valorizam a conquista de experiências profissionais, a satisfação pessoal e a promoção por meio de planos de carreira.

Contribuições: Os resultados sugerem que alunos com perfil de locomoção (vs. avaliação) experenciam um ajuste regulatório e são mais adequados ao curso de Ciências Contábeis.

Biografia do Autor

Valter da Silva Faia, Universidade Estadual de Maringá
Professor do Departamento de Ciências Contábeis da Universidade Estadual de Maringá.

Referências

Amato, C., Pierro, A., Chirumbolo, A. & Pica, G. (2014). Regulatory modes and time management: How locomotors and assessors plan and perceive time. International Journal of Psychology, 49(3), pp. 192-199. doi: 10.1002/ijop.12047

Amato, C., Baron, R. A., Barbieri, B., Bélanger, J. J. & Pierro, A. (2017). Regulatory modes and entrepreneurship: the mediational role of alertness in small business success. Journal of Small Business Management, 55(S1), pp. 27-42. doi: 10.1111/jsbm.12255

Anjos, L. C. M., Santos, P. C. F., Miranda, L. C., Silva, D. J. C. & Freire, R. S. (2011). Conhecer e empreender: um estudo sobre a utilização de artefatos gerenciais em organizações contábeis. Navus-Revista de Gestão e Tecnologia, 1(1), pp. 17-34.

Atkinson, A. A., Kaplan, R. S., Matsumura, E. A., & Young, S. M. (2015). Contabilidade gerencial: Informação para tomada de decisão e execução da estratégia. (4ª ed.). São Paulo: Atlas.

Avnet, T. & Tory Higgins, E. (2003). Locomotion, assessment, and regulatory fit: Value transfer from “how” to “what”. Journal of Experimental Social Psychology, 39(5), pp. 525-530. doi: 10.1016/S0022-1031(03)00027-1

Benjamin, L. & Flynn, F. J. (2006). Leadership style and regulatory mode: Value from fit?. Organizational Behavior and Human Decision Processes, 100(2), pp. 216-230. doi: 10.1016/j.obhdp.2006.01.008

Bezerra, F. A. (2012). Análise fatorial. In L. J. Corrar, E. Paulo & J. M., Dias Filho (coords.), Análise multivariada: para os cursos de Administração, Ciências Contábeis e Economia (Cap. 2, pp.73-130). São Paulo: Atlas.

Bolton, D. L. & Lane, M. D. (2012). Individual entrepreneurial orientation: Development of a measurement instrument. Education + Training, 54(2/3), pp. 219-233. doi: 10.1108/00400911211210314

Borges, I. M. T. (2016). Entendendo os diferentes: influência de fatores contingenciais e dos estilos de aprendizagem no desempenho acadêmico de discentes do curso de ciências contábeis. Dissertação de mestrado, Universidade Estadual de Maringá, Maringá, PR, Brasil. Disponível em: http://www.pco.uem.br/dissertacoes-defendidas/

Chernikova, M., Destro, C. L., Mauro, R., Pierro, A., Kruglanski, A. W. & Higgins, E. T. (2016). Different strokes for different folks: Effects of regulatory mode complementarity and task complexity on performance. Personality and Individual Differences, 89(1), pp. 134-142. doi: 10.1016/j.paid.2015.10.011

Cohen, J. (1992). A power primer. Psychological Bulletin, 112(1), pp. 155-159. doi:10.1037/0033-2909.112.1.155

CPC – Comitê de Pronunciamentos Contábeis (2011). Pronunciamento contábil básico CPC 00 (R1): Estrutura Conceitual para Elaboração e Divulgação de Relatório Contábil-Financeiro. Disponível em http://www.cpc.org.br.

CPC – Comitê de Pronunciamentos Contábeis (2011). Pronunciamento técnico CPC 26 (R1): Apresentação das demonstrações contábeis. Disponível em http://www.cpc.org.br.

Cunha, J. V. A. & Coelho, A. C. (2012). Regressão Linear Múltipla. In L. J. Corrar, E. Paulo & J. M., Dias Filho (coords.). Análise multivariada: para os cursos de Administração, Ciências Contábeis e Economia (Cap. 2, pp.73-130). São Paulo: Atlas.

Faia, V. D. S. & Vieira, V. A. (2017). Generating sales while providing service: the moderating effect of the control system on ambidextrous behavior. International Journal of Bank Marketing, 35(3), pp. 447-471. doi: 10.1108/IJBM-07-2016-0094

Field, A. (2012). Discovering statistics using IBM SPSS Statistics (4a ed.). London: Sage.

Fornell, C. & Larcker, D. F. (1981). Evaluating structural equation models with unobservable variables and measurement error. Journal of Marketing Research, 18(1), pp. 39-50. doi: 10.2307/3151312

Garrison, R. H., Noreen, E. W., & Brewer, P. C (2013). Contabilidade Gerencial (14ª ed.). Porto Alegre: AMGH.

Giacomantonio, M., Mannetti, L. & Pierro, A. (2013). Locomoting toward well-being or getting entangled in a material world: Regulatory modes and affective well-being. Journal of Economic Psychology, 38(1), pp. 80-89. doi: 10.1016/j.joep.2012.07.003

Hair, J. F., Jr., Black, W. C, Babin, B. J., Anderson, R. E. & Tatham, R. L. (2009). Análise multivariada de dados (6ª ed.). Porto Alegre: Bookman.

Higgins, E. T. (2000). Making a good decision: value from fit. American Psychologist, 55(11), p. 1217. doi: 10.1037/0003-066X.55.11.1217

Higgins, E. T., Kruglanski, A. W. & Pierro, A. (2003). Regulatory mode: Locomotion and assessment as distinct orientations. In M. P. Zanna (Ed.), Advances in experimental social psychology (Vol. 35, pp. 294–344). San Diego, CA: Academic Press. doi: 10.1016/S0065-2601(03)01005-0

IMA – Institute of Management Accountants (2008). Definition of management accounting. Recuperado em 9 abril, 2018, de https://www.imanet.org

Iudícibus, S. & Marion, J. C. (2002). Introdução à teoria da Contabilidade para o nível de graduação (3ª. ed.) São Paulo: Atlas.

Jasmand, C., Blazevic, V. & de Ruyter, K. (2012). Generating sales while providing service: A study of customer service representatives' ambidextrous behavior. Journal of Marketing, 76(1), pp. 20-37. doi: 10.1509/jm.10.0448

Kohama, H. (2012). Contabilidade pública: teoria e prática (12ª. ed.). São Paulo: Atlas.

Kruglanski, A. W., Thompson, E. P., Higgins, E. T., Atash, M., Pierro, A., Shah, J. Y. & Spiegel, S. (2000). To" do the right thing" or to" just do it": locomotion and assessment as distinct self-regulatory imperatives. Journal of personality and social psychology, 79(5), pp. 793-815. doi: 10.1037/0022-3514.79.5.793

Lourenço, A. A. & Paiva, M. O. A. (2010). A motivação escolar e o processo de aprendizagem. Ciências & Cognição, 15(2), pp. 132-141.

Maciel, A. R. & Martins, V. A. (2018). Percepção da qualidade em serviços contábeis: Estudo de caso em um escritório contábil em Foz do Iguaçu/PR. Revista Evidenciação Contábil & Finanças, 6(2), pp. 95-113. doi: 10.18405/recfin20180206

Manalo, E., Kusumi, T., Koyasu, M., Michita, Y. & Tanaka, Y. (2013). To what extent do culture-related factors influence university students’ critical thinking use?. Thinking Skills and Creativity, 10(1), pp. 121-132. doi: 10.1016/j.tsc.2013.08.003

Marôco, João (2010). Análise de equações estruturais: fundamentos teóricos, software & aplicações. Pêro Pinheiro: ReportNumber.

Martinez, A. L. (2017). Agressividade tributária: um survey da literatura. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade (REPeC), 11(edição especial), pp. 106-124. doi: 10.17524/repec.v11i0.1724.

Miceli, S., de Palo, V., Monacis, L., Di Nuovo, S. & Sinatra, M. (2018). Do personality traits and self-regulatory processes affect decision-making tendencies?. Australian Journal of Psychology, 70(1), pp. 284-293. doi: 10.1111/ajpy.12196

Orehek, E. & Vazeou-Nieuwenhuis, A. (2013). Sequential and concurrent strategies of multiple goal pursuit. Review of General Psychology, 17(3), p. 339. doi: 10.1037/a0032584

Ott, E., da Cunha, J. V. A., Cornacchione Júnior, E. B. & De Luca, M. M. M. (2011). Relevância dos conhecimentos, habilidades e métodos instrucionais na perspectiva de estudantes e profissionais da área contábil: estudo comparativo internacional. Revista Contabilidade & Finanças, 22(57), pp. 338-356. doi: 10.1590/S1519-70772011000300007

Panucci-Filho, L., Clemente, A., Souza, A. & Espejo, M. M. D. S. B. (2013). Dificuldades e perspectivas dos estudantes de Ciências Contábeis da Universidade Federal do Paraná segundo o perfil socioeducacional. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade (REPeC), 7(1), pp. 20-34. doi: 10.17524/repec.v7i1.241

Pedhazur, E. J. & Schmelkin, Liora P. (1991). Measurement, design and analysis: an integrated approach. New Jersey: Erlbaum.

Pierro, A., Giacomantonio, M., Pica, G., Giannini, A. M., Kruglanski, A. W. & Higgins, E. T. (2013). Persuading drivers to refrain from speeding: Effects of message sidedness and regulatory fit. Accident Analysis & Prevention, 50(1), pp. 917-925. doi: 10.1016/j.aap.2012.07.014

Pierro, A., Kruglanski, A. W. & Higgins, E. T. (2006). Regulatory mode and the joys of doing: effects of ‘locomotion’ and ‘assessment’ on intrinsic and extrinsic task‐motivation. European Journal of Personality, 20(5), pp. 355-375. doi: 10.1002/per.600

Pierro, A., Leder, S., Mannetti, L., Higgins, E. T., Kruglanski, A. W. & Aiello, A. (2008). Regulatory mode effects on counterfactual thinking and regret. Journal of Experimental Social Psychology, 44(2), pp. 321-329. doi: 10.1016/j.jesp.2007.06.002

Pierro, A., Presaghi, F., Higgins, T. E. & Kruglanski, A. W. (2009). Regulatory mode preferences for autonomy supporting versus controlling instructional styles. British Journal of Educational Psychology, 79(4), pp. 599-615. doi: 10.1348/978185409X412444

Pierro, A., Chernikova, M., Destro, C. L., Higgins, E. T. & Kruglanski, A. W. (2018). Assessment and Locomotion Conjunction: How Looking Complements Leaping… But Not Always. In J. M. Olson (Ed.), Advances in Experimental Social Psychology (Vol. 58, Cap.5, pp. 243-299). Cambridge: Elsevier.

Pohlmann, M. C. (2012). Contabilidade Tributária. Curitiba: IESDE Brasil S.A.

Resolução n. 10, de 16 de dezembro de 2004. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Ciências Contábeis, bacharelado, e dá outras providências. Recuperado de http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rces10_04.pdf

Santiago, N. M. S. G., Faia, V. S. & Silva, J. D. (2016). Ensino do empreendedorismo nos cursos de ciências contábeis do estado do Paraná. ConTexto, 16(32), pp. 110-125.

Shane, S. (2012). Reflections on the 2010 AMR decade award: Delivering on the promise of entrepreneurship as a field of research. Academy of Management Review, 37(1), pp. 10-20. doi: org/10.5465/amr.2011.0078

Silva, J. D., Faia, V. S. & Vieira, V. A. (2016). Os efeitos negativos da experiência e do controle no desempenho do vendedor. RAE-Revista de Administração de Empresas, 56(6), pp. 626-640. doi: 10.1590/S0034-759020160605

Silva, J. D., Vieira, V. A. & Faia, V. S. (2015). Quando o sistema de controle enfraquece o desempenho com vendas. REMark, 14(1), pp. 1-17. doi: 10.5585/remark.v14i1.2816

Silva, V. R., Miranda, G. J. & Pereira, J. M. (2017). ENADE e Proposta Curricular do CFC: Um Estudo em Cursos Brasileiros de Ciências Contábeis. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade (REPeC), 11(3), pp. 261-275. doi: 10.17524/repec.v11i3.1479

Spiegel, S., Grant‐Pillow, H. & Higgins, E. T. (2004). How regulatory fit enhances motivational strength during goal pursuit. European Journal of Social Psychology, 34(1), pp. 39-54.doi: 10.1002/ejsp.180

Tang, J., Kacmar, K. M. M. & Busenitz, L. (2012). Entrepreneurial alertness in the pursuit of new opportunities. Journal of Business Venturing, 27(1), pp. 77-94. doi: 10.1016/j.jbusvent.2010.07.001

Triviños, A. N. S. (2013). Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação (22ª. ed). São Paulo: Atlas.

Vieira, V. A., Pires, D. & Galeano, R. (2013). Determinantes do desempenho empresarial e das vendas cruzadas no varejo. Revista de Administração de Empresas, 53(6), pp. 565-579. doi: 10.1590/S0034-759020130605

Publicado
14-12-2018
Como Citar
Faia, V. da S., & Trevisan, J. A. (2018). Os Modos Regulatórios e suas Relações entre os Estudantes de Ciências Contábeis. Revista De Educação E Pesquisa Em Contabilidade (REPeC), 12(4). https://doi.org/10.17524/repec.v12i4.1846
Seção
Artigos