Habilidades Relevantes para a Perícia Contábil Criminal: A Percepção dos Peritos e Delegados da Polícia Federal

Carlos Roberto dos Santos Filho, Flávio Alves Carlos, Fábio Moraes da Costa

Resumo


A pesquisa buscou identificar quais são as habilidades consideradas mais relevantes para o exercício da perícia contábil criminal no País. Assim como em pesquisas internacionais, as habilidades percebidas como mais relevantes foram a comunicação escrita, a análise dedutiva e o pensamento crítico. Entre as habilidades menos relevantes, ficaram a entrevista e a resolução e negociação de conflitos. Na segunda parte, enquanto peritos e delegados, de forma conjunta, consideram que a comunicação escrita é a habilidade mais presente, os delegados divergem dos peritos em relação ao pensamento crítico e à serenidade. Adicionalmente, os respondentes indicaram habilidades que não estavam entre as investigadas, e as habilidades mais citadas foram a proatividade, a objetividade e a atualização. À luz da contabilidade forense, o método de pesquisa utilizado foi o survey, utilizando-se um questionário predefinido com questões abertas e fechadas, obtendo-se a participação de 144 respondentes. O estudo foi dividido em três partes: a primeira, sobre a percepção de relevância das habilidades, a segunda sobre a percepção da aplicação prática das habilidades e a terceira parte permitiu que os respondentes contribuíssem com sugestões de habilidades consideradas relevantes e que não constassem entre as investigadas. O estudo contribui para o estabelecimento de diretrizes curriculares de cursos de graduação e pós-graduação relacionados ao treinamento das habilidades consideradas como relevantes para formação de futuros profissionais, e para o aperfeiçoamento dos peritos criminais contábeis. Por fim, verifica-se que as habilidades investigadas e sugeridas têm o potencial de contribuir para todas as áreas da perícia contábil.

Palavras-chave


contabilidade forense; criminal; habilidades

Texto completo:

PORTUGUÊS ENGLISH (English)

Referências


Astutie, Y. P. & Utami, Y. (2013,). Characteristics and Relevant Skills of The Forensic Accountant: An Empirical Study on Indonesia. In International Conference on Accounting and Finance (AT). Proceedings (p. 122). Global Science and Technology Forum. DOI:10.5176/2251-1997_AF13.44

Bardin, L. (1979). Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70.

Bhasin, M. (2013). An Empirical Investigation of the Relevant Skills of Forensic Accountants: experience of a Developing Economy. European Journal of Accounting Auditing and Finance Research, 1(2), pp. 11-52. DOI: 3200/JOEB.83.6.331-338

Black, H.C. (1971). Black’s Law Dictionary. West Publishing CO. Recuperado em 30 julho, 2015, de http://www.nationallibertyalliance.org/files/docs/Books/Black's%20Law%204th%20edition,%201891.pdf

Boys, J. (2008). Forensic Accounting in New Zealand: exploring the gap between education and practice. New Zealand: Auckland University.

Bracarense, P. A. (2012). Estatística Aplicada às Ciências Sociais (1 ed.). Curitiba: IESDE Brasil S.A.

Conselho Federal De Contabilidade. Norma Brasileira de Contabilidade – NBC TP 01. Dá nova redação à NBC TP 01 – Perícia Contábil. Recuperado em 27 fevereiro, 2015, de https://cfc.org.br/wp-content/uploads/2016/02/NBC_TP_01.pdf

Crumbley, D. L., Hitger, L.E. & Smith, G. S. (2013). Forensic and Investigative Accounting. Wolters Kluwer (6 ed.).

Davis, C., Farrell, R. & Ogilby, S. (2010). Characteristics and skills of the Forensic Accountant. American Institute of Certified Public Accountants.

Digabriele, J. A. (2008). An empirical investigation of the relevant skills of forensic accountants. Journal of Education for Business, 83(6), pp. 331-338. DOI:10.3200/JOEB.83.6.331-338

Freitas, H., Oliveira, M., Saccol, A. Z. & Moscarola, J. (2000). O método de pesquisa survey. Revista de Administração da Universidade de São Paulo, 35(3), pp. 105-112.

Harris, C. K. & Brown, A. M. (2000). The qualities of a forensic accountant. Pennsylvania CPA Journal, 71(1), pp. 2-3.

Humphrey, C., Moizer, P. & Turley, S. (1993). The audit expectations gap in Britain: An empirical investigation. Accounting and Business Research, 23(sup1), pp. 395-411. DOI:10.1080/00014788.1993.9729907

Lakatos, E. M., & Marconi, M.A. (2003). Metodologia Científica (2 ed.). São Paulo: Atlas.

Oliveira, A.B.S. (2011). Métodos da Pesquisa Contábil. São Paulo: Atlas.

Oliveira, A.T. (2002). Proposta Metodológica de Perícia Contábil para o Crime de Apropriação Indébita Previdenciária.

Peleias, I. R. (org.). (2006). Didática do Ensino da Contabilidade. São Paulo: Saraiva.

Silva, L. M. (2012). Contabilidade Forense: princípios e fundamento. São Paulo: atlas.

Silva, R. M. (2012). Contabilidade Forense no Brasil: uma proposição de metodologia. Dissertação. Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo.

Skalak, S.L., Golden, T., Clayton, M. & Pill, J. (2011). A Guide to Forensic Accounting Investigation (2 ed.). New Jersey: John Wiley & Sons.

West Virginia University (2007). Education and Training in Fraud and Forensic Accounting: A Guide for Educational Institutions, Stakeholder Organizations, Faculty, and Students.




DOI: http://dx.doi.org/10.17524/repec.v11i1.1446

Creative Commons License
Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.


ISSN 1981-8610

DOI 10.17524/repec

Indexação da REPeC: Indexadores e Diretórios


Endereço postal

Academia Brasileira de Ciências Contábeis (ABRACICON)

SAS Quadra 5, Bloco J, Edifício do CFC

CEP 70.070-920 - Brasília/DF - Brasil