Compreensão dos Graduandos dos Cursos de Ciências Contábeis Quanto aos Conceitos Relevantes Ensinados na Disciplina de Teoria da Contabilidade em IES da Grande Florianópolis

  • Fabiana Frigo Souza Universidade Federal de Santa Catarina
  • Ernesto Fernando Rodrigues Vicente Universidade Federal de Santa Catarina
Palavras-chave: Teoria da Contabilidade, Ensino de Contabilidade, Conceitos Relevantes

Resumo

Esta pesquisa tem como objetivo identificar a compreensão dos graduandos do curso de Ciências Contábeis quanto aos conceitos relevantes ensinados na disciplina de Teoria da Contabilidade. Para o atingimento desse objetivo foi elaborado um questionário enviado a instituições selecionadas ou aplicado presencialmente, obtendo um total de 65 respondentes que já haviam cursado a disciplina de Teoria da Contabilidade. Os resultados dessa pesquisa mostram que os alunos percebem os conceitos relacionados à disciplina de forma mais ligada à normatização e que, pela maior parte dos respondentes, a disciplina Teoria da Contabilidade foi considerada de fundamental importância, não devendo ser eliminada. Além disso, não se pode afirmar que exista relação entre a área e o tempo de atuação dos respondentes com as suas percepções relativas aos conceitos da disciplina. Observou-se ainda que há pouca discussão sobre alguns temas, em que alguns alunos os desconhecem totalmente, como no caso da Teoria da Agência e de Earnings Management, o que pode indicar um gap quanto ao ensino da disciplina. Para futuras pesquisas sugere-se analisar o ensino a distância e pesquisas que busquem analisar a existência desse possível gap observado.

Referências

Antunes, M. T. P., & Martins, E. (2002). Capital intelectual: verdades e mitos. Revista Contabilidade & Finanças, 13(29), pp. 41-54. http://dx.doi.org/10.1590/S1519-70772002000200003

Bae, B., & Sami, H. (2005). The effect of potential environmental liabilities on earnings response coefficients. Journal of Accounting, Auditing & Finance, 20(1), pp. 43-70.

Barth, M. E. (2008). Global financial reporting: Implications for US academics. The Accounting Review, 83(5), pp. 1159-1179. http://dx.doi.org/10.2308/accr.2008.83.5.1159

Beck, F., & Rausch, R. B. (2015). Fatores que influenciam o processo ensino-aprendizagem na percepção de discentes do curso de ciências contábeis. Contabilidade Vista & Revista, 25(2), pp. 38-58.

Bezerra, C. G. (2015). Um estudo da disciplina Teoria da Contabilidade em instituições de ensino superior públicas da grande Florianópolis considerando a ementa da disciplina e a satisfação dos alunos. In Congresso UFSC de Controladoria e Finanças, 6.

Bezerra, C. G. (2015). Um estudo da disciplina Teoria da Contabilidade em instituições de ensino superior públicas da grande Florianópolis considerando a ementa da disciplina e a satisfação dos alunos. Anais do Congresso UFSC de Controladoria e Finanças, Florianópolis, SC, Brasil, 6.

Borba, J. A., Poeta, F. Z., & Vicente, E. F. R. (2011). Teoria da contabilidade: uma análise da disciplina nos programas de mestrado brasileiros. Sociedade, Contabilidade e Gestão, 6(2).

BRASIL. Resolução nº 3, de 5 de outubro de 1992 (2004). Fixa os mínimos de conteúdo e duração do curso de graduação em Ciências Contábeis. Conselho Federal de Educação. Brasília, DF, s. 1, p. 15.

Calixto, L. (2006). O ensino da contabilidade ambiental nas universidades brasileiras: um estudo exploratório. Revista Universo Contábil, 2(3), pp. 65-78.

Cardoso, R. L., Pereira, C. A., & Guerreiro, R. (2007). Perfil das pesquisas em contabilidade de custos apresentadas no EnANPAD no período de 1998 a 2003. Revista de Administração Contemporânea, 11(3), pp. 177-198. http://dx.doi.org/10.1590/S1415-65552007000300009

Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC). Combinação de Negócios. Recuperado em 30 de julho, 2015, de http://www.cpc.org.br/CPC.

Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC). Estrutura Conceitual para Elaboração e Divulgação de Relatório Contábil-Financeiro. Recuperado em 30 de julho, 2015, de http://www.cpc.org.br/CPC.

Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC). Receitas. Recuperado em 30 de julho, 2015, de http://www.cpc.org.br/CPC.

Creswell, J. W., Hanson, W. E., Plano, V. L. C., & Morales, A. (2007). Qualitative research designs selection and implementation. The counseling psychologist, 35(2), pp. 236-264. http://dx.doi.org/10.1177/0011000006287390

Cunha, L. C., Borgert, A., Richartz, F., & Souza, F. R. de (2014). A Disciplina Teoria da Contabilidade em Cursos de Graduação: Percepção de Alunos e Professores. Anais Congresso UFSC de Controladoria e Finanças, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, 5.

De Araújo, A. M. P., & Andere, M. A. (2006). Análise das Competências do Professor do Ensino Superior em Contabilidade: um estudo exploratório. In Anais do Congresso Brasileiro de Custos-ABC, 13.

De Araújo, A. M. P., & Andere, M. A. (2006). Análise das Competências do Professor do Ensino Superior em Contabilidade: um estudo exploratório. Anais do Congresso Brasileiro de Custos-ABC, Porto de Galinhas, PE, Brasil, 13.

De Carvalho, A. G. (2002). Governança corporativa no Brasil em perspectiva. Revista de Administração da Universidade de São Paulo, 37(3), pp. 19-32.

Fahl, A. C., & Manhani, L. P. De S. (2006). As perspectivas do profissional contábil e o ensino da contabilidade. Revista de Ciências Gerenciais, 10(12), pp. 25-33. http://dx.doi.org/10.17921/1415-6571.2006v10n12p25-33

Ferreira, A. F., Splitter, K., & Borba, J. A. (2012). Teoria da contabilidade: uma disciplina específica ou conhecimentos que deveriam estar integrados em outras disciplinas. Anais Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, São Paulo, SP, Brasil, 12.

Franco, H. (1996). Cursos de pós-graduação, educação profissional continuada e valorização da profissão contábil. Revista Brasileira de Contabilidade, 26(103).

Franco, H, & Iudícibus, S. (1983). A contabilidade na era da globalização. São Paulo, Atlas.

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo, 5.

Hendriksen, E. S., & Van Breda, M. F. (2009). Teoria da contabilidade; tradução de Antônio Zoratto Sanvicente. São Paulo, Atlas.

Inanga, E. L., & Schneider, W. B. (2005). The failure of accounting research to improve accounting practice: a problem of theory and lack of communication. Critical Perspectives on Accounting, 16(3), pp. 227-248. http://dx.doi.org/10.1016/S1045-2354(03)00073-X

Iudícibus, S. de (1997). O verdadeiro significado de uma teoria. Revista Brasileira de Contabilidade, 25(97), pp. 21-23.

Iudícibus, S. de (2009). Teoria da Contabilidade. São Paulo, Atlas, 9.

Iudícibus, S. de (2012). Teoria da Contabilidade: evolução e tendências. Revista de Contabilidade do Mestrado em Ciências Contábeis da UERJ, 17(2), pp. 5-13.

Kam, V. (1986). Accounting theory. New York: Wiley.

Laffin, M. (2002). Ensino da contabilidade: componentes e desafios. Contabilidade Vista & Revista, 13(3), pp. 9-20.

Lima Filho, R. N., & Bruni, A. L. (2012). Percepção dos graduandos em Ciências Contábeis de Salvador (BA) sobre os conceitos relevantes da Teoria da Contabilidade. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade (REPeC), 6(2), pp. 187-203. http://dx.doi.org/10.17524/repec.v6i2.176

Lopes, A. B., & Iudicibus, S. (2012). Teoria avançada da contabilidade. São Paulo: Atlas, 2.

Madeira, G. J., Mendonça, K. F. C., & Abreu, S. M. (2003). A disciplina teoria da contabilidade nos exames de suficiência e provão. Contabilidade Vista & Revista, Ed. Especial (14), pp. 103-122.

Marion, J. C. (1997). A Disciplina Teoria da Contabilidade nos Cursos de Graduação-Algumas Considerações. Contabilidade Vista & Revista, 8(2), pp. 03-08.

Marion, J. C. (2001). O Ensino da Contabilidade. São Paulo, Atlas, 2.

Matsumoto, A. S., & Parreira, E. M. (2007). Uma pesquisa sobre o Gerenciamento de Resultados Contábeis: causas e consequências. Contabilidade, Gestão e Governança, 10(1), pp. 141-157.

Miranda, C. D. S., Moraes, M. B. D. C., & Nakao, S. H. (2008). O Ensino da Teoria da Contabilidade: uma avaliação em instituições no Estado de São Paulo. Anais Encontro da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Administração, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 32.

Murcia, F., Rover, S., Souza, F. C. D., & Borba, J. A. (2008). Paradigma atual da ciência contábil: como os docentes de universidades norte-americanas “enxergam a realidade” da pesquisa em contabilidade. In Anais Congresso Associação Nacional dos Programas de Pós-graduação em Ciências Contábeis – ANPCONT, II, p. 1-16.

Murcia, F., Rover, S., Souza, F. C. D., & Borba, J. A. (2008). Paradigma atual da ciência contábil: como os docentes de universidades norte-americanas “enxergam a realidade” da pesquisa em contabilidade. Anais Congresso Associação Nacional dos Programas de Pós-graduação em Ciências Contábeis – ANPCONT, Salvador, Bahia, Brasil, 2, p. 1-16.

Nardi, P. C. C., & Nakao, S. H. (2009). Gerenciamento de resultados e a relação com o custo da dívida das empresas brasileiras abertas. Revista Contabilidade & Finanças, 20(51), pp. 77-100. http://dx.doi.org/10.1590/S1519-70772009000300006

Nascimento, A. M., & Bianchi, M. (2005). Um estudo sobre o papel da controladoria no processo de redução de conflitos de agência e de governança corporativa. In Anais Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, São Paulo, SP, Brasil, 5.

Nossa, V. (1999). Ensino da Contabilidade no Brasil: Uma análise crítica da formação do corpo docente. São Paulo. Dissertação de Mestrado. Faculdade de Economia e Administração – USP, São Paulo, SP, Brasil.

Pereira, A. G., Bruni, A. L., Rocha, J. D., Lima Filho, R. N., & Faria, J. A. D. (2010). Teoria dos contratos, governança corporativa e auditoria: delineamentos para a discussão em teoria da contabilidade. Anais do Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia, Resende, Rio de Janeiro, Brasil, 7.

Piccoli, M. R., Chiarello, T. C., & Klann, R. C. (2015). A percepção dos acadêmicos sobre conceitos abordados na disciplina de Teoria da Contabilidade. Revista de Gestão, Finanças e Contabilidade, 5(1), pp. 40-57.

Pinheiro, F. A. (1997). O Postulado do Usuário: incentivo ao desenvolvimento da Teoria da Contabilidade e do Contabilista. Caderno de Estudos FIPECAFI, 9(16), pp. 59-65. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-92511997000300004

Ribeiro, H. C. M. (2013). Revista de contabilidade e organizações: Uma análise bibliométrica e de rede social de 2007 a 2012. Revista Iberoamericana de Contabilidad de Gestion - RIGC, 11(22), pp. 1-18.

Ribeiro, H. C. M. (2014). Revista universo contábil: Uma análise do perfil da produção científica sob a ótica da bibliometria e da rede social de 2005 a 2012. Revista Ambiente Contábil, 6(2), pp. 261-281.

Ribeiro, M. De S., & Lisboa, L. P. (1999). Balanço social. Revista Brasileira de Contabilidade, 115, pp. 1-22.

Rodrigues, A. (2007). Gerenciamento dos resultados contábeis através de receitas e Despesas não-operacionais: estudo empírico das companhias “Nível 1”– Bovespa. Sociedade, Contabilidade e Gestão, 2(1), pp. 5-18.

Santos, A. D., & Grateron, I. R. G. (2003). Contabilidade criativa e responsabilidade dos auditores. Revista Contabilidade & Finanças, 14(32), pp. 7-22. http://dx.doi.org/10.1590/S1519-70772003000200001

Santos, R. D. (2003). "Jogos de empresas" aplicados ao processo de ensino e aprendizagem de contabilidade. Revista Contabilidade & Finanças, 14(31), pp. 78-95. http://dx.doi.org/10.1590/S1519-70772003000100006

Triviños, A. N. S. (1987). Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo, Atlas.

Vasconcellos, M. L. M. C. (1994). O profissional liberal na docência de 3 grau: uma proposta de atualização pedagógica. Dissertação de Mestrado. Universidade Mackenzie, São Paulo, SP, Brasil.

Publicado
29-03-2017
Como Citar
Souza, F., & Vicente, E. (2017). Compreensão dos Graduandos dos Cursos de Ciências Contábeis Quanto aos Conceitos Relevantes Ensinados na Disciplina de Teoria da Contabilidade em IES da Grande Florianópolis. Revista De Educação E Pesquisa Em Contabilidade (REPeC), 11(1). https://doi.org/10.17524/repec.v11i1.1450
Seção
Artigos

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##