Métodos dramáticos aplicados a intervenções socioeducativas de Autogestão e Contabilidade

Autores

  • Dodi Tavares Borges Leal FEA/USP
  • Silvia Pereira de Castro Casa Nova FEA/USP

DOI:

https://doi.org/10.17524/repec.v3i3.98

Palavras-chave:

Educação da Contabilidade, Role-Playing, Teatro do Oprimido.

Resumo

O objetivo da pesquisa é verificar quais as contribuições que o uso de técnicas dramáticas pode proporcionar no âmbito de intervenções socioeducativas de Autogestão (gestão democrática) e de Contabilidade no contexto da educação não formal. Inicialmente, apresenta-se um estudo teórico sobre dois métodos dramáticos comumente utilizados em práticas educativas. O primeiro deles é o Role-Playing (RP), de vivência de papéis, o qual já se aplica no Ensino Superior de Contabilidade. Outro método discutido é o Teatro do Oprimido (TO), criado e desenvolvido pelo reconhecido teatrólogo Augusto Boal. Como meio de estudar as vantagens da utilização destes métodos de dramatização no ensino da Contabilidade, empreendeu- se uma oficina experimental na Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares da Universidade de São Paulo (ITCP-USP), instituição atuante no movimento de Economia Solidária (ES). Verificou-se, com a pesquisa, a eficácia dos métodos de dramatização utilizados para vivência e compreensão dos processos relacionados à gestão. A experiência com o TO e o RP proporcionou reflexão coletiva acerca dos papéis assumidos em uma organização e evidenciou o caráter técnico do conhecimento contábil percebido pelos participantes.

Downloads

Publicado

2009-12-21

Como Citar

Leal, D. T. B., & Casa Nova, S. P. de C. (2009). Métodos dramáticos aplicados a intervenções socioeducativas de Autogestão e Contabilidade. Revista De Educação E Pesquisa Em Contabilidade (REPeC), 3(3), 1–17. https://doi.org/10.17524/repec.v3i3.98

Edição

Seção

Artigos