Estrutura de propriedade e disclosure econômico e socioambiental nas maiores empresas do Brasil

  • Tatiana Aquino Almeida Universidade Federal do Ceará (UFC)
  • Lahis Muriel Feliciano dos Santos Universidade Federal do Ceará (UFC)
  • Augusto Cézar de Aquino Cabral Professora da Universidade Federal do Ceará (UFC)
  • Sandra Maria dos Santos Professora da Universidade Federal do Ceará (UFC)
  • Maria Naiula Monteiro Pessoa Professora da Universidade Federal do Ceará (UFC)
Palavras-chave: Estrutura de propriedade e controle, Evidenciação, Divulgação, Sustentabilidade, Responsabilidade Social Corporativa (RSC).

Resumo

A evidenciação das práticas sustentáveis tornou-se importante na busca por vantagens competitivas, possibilitando o atendimento às expectativas dos diversos stakeholders. Assim, o estudo tem por objetivo investigar a relação entre a estrutura de propriedade e o disclosure voluntário econômico e socioambiental nas maiores empresas brasileiras, analisando a concentração acionária e a identidade do acionista controlador. Para a análise, foram consideradas as perspectivas econômica, social e ambiental abordadas tanto de forma individual quanto conjunta. A amostra reúne 47 empresas das 100 maiores companhias abertas listadas na BM&FBOVESPA, conforme a revista Exame Melhores e Maiores, edição 2013. A pesquisa possui caráter descritivo e abordagem quantitativa dos dados, empregando a Regressão Linear Múltipla como método estatístico. A análise descritiva das perspectivas do disclosure (econômico, social, ambiental e sustentabilidade) evidenciou que o aspecto ambiental apresentou menor média de divulgação. As organizações de controle estatal destacaram-se com maior média em três dos quatro níveis de disclosure: econômico, social e de sustentabilidade. Quanto à aplicação do teste estatístico, os modelos de regressão não apresentaram significância estatística, indicando que, para as empresas da amostra, a estrutura de propriedade não exerce influência sobre o disclosure econômico e socioambiental.

Biografia do Autor

Tatiana Aquino Almeida, Universidade Federal do Ceará (UFC)
Bacharel em Ciências Contábeis pela Universidade Federal do Ceará (UFC) Mestranda em Administração e Controladoria pela UFC
Lahis Muriel Feliciano dos Santos, Universidade Federal do Ceará (UFC)
Bacharel em Ciências Contábeis pela Universidade Federal do Ceará (UFC) Mestranda em Administração e Controladoria pela UFC
Augusto Cézar de Aquino Cabral, Professora da Universidade Federal do Ceará (UFC)
Doutor em Administração pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
Sandra Maria dos Santos, Professora da Universidade Federal do Ceará (UFC)
Doutora em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
Maria Naiula Monteiro Pessoa, Professora da Universidade Federal do Ceará (UFC)
Doutora em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Referências

Amran, A., & Ooi, S. K. (2014). Sustainability reporting: meeting stakeholder demands. Strategic Direction, 30(7), pp. 38-41. doi: 10.1108/SD-03-2014-0035

Berle, A., & Means, G. (1932). The modern corporation and private property. New York: Macmillan.

Beuren, I. M., & Söthe, A. (2009). A teoria da legitimidade e o custo político nas evidenciações contábeis dos governos estaduais da região sudeste do Brasil. Revista de Contabilidade e Organizações – RCO, 3(5), pp. 98-120. doi: 10.11606/rco.v3i5.34734

Block, J. H., & Wagner, M. (2014). The effect of family ownership on different dimensions of corporate social responsibility: evidence from large US firms. Business Strategy and the Environment. 23(7), pp. 475-496. doi: 10.1002/bse.1798

Borba, P. R. F. (2006, setembro). Relação entre desempenho social corporativo e desempenho financeiro de empresas no Brasil. Anais do Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração – EnANPAD, Salvador, BA, Brasil, 30.

Borges, A. P., Rosa, F. S., & Ensslin, S. R. (2010). Evidenciação voluntária das práticas ambientais: um estudo nas grandes empresas brasileiras de papel e celulose. Produção, 20(3), pp. 404-417. doi: 10.1590/S0103-65132010005000034

Braga, C., Santos, A., Silva, P. P., & Nunes, R. V. (2011, setembro). A influência da origem do controle acionário no nível de disclosure ambiental no setor de energia elétrica no Brasil. Anais do Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração – EnANPAD, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 35.

Braga, J. P., Oliveira, J. R. S., & Salotti, B. M. (2009). Determinantes do nível de divulgação ambiental nas demonstrações contábeis de empresas brasileiras. Revista de Contabilidade da UFBA, 3(3), pp. 81-95.

Brandão, M. M. (2004). Governança corporativa e a influência dos acionistas minoritários no sistema de decisões estratégicas. Dissertação de mestrado profissional, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, Brasil. Recuperado de http://www.biblioteca.pucminas.br/teses/Administracao_BrandaoMM_1.pdf

Cardoso, V. I. C., De Luca, M. M. M., & Almeida, T. A. (2012, novembro). Práticas de disclosure econômico e socioambiental nas maiores empresas do Brasil. Anais do Encontro Nacional sobre Gestão Empresarial e Meio Ambiente – ENGEMA, São Paulo, SP, Brasil, 14.

Carvalhal-da-Silva, A. L. (2004). Governança corporativa, valor, alavancagem e política de dividendos das empresas brasileiras. Revista de Administração USP - RAUSP, 39(4), pp. 348-361.

Collis, J., & Hussey, R. (2005). Pesquisa em administração: um guia prático para alunos de graduação e pós-graduação (2ª ed.). Porto Alegre: Bookman.

Costa, M. I.; Torres, L. S.; Vasconcelos, A. C., & De Luca, M. M. M. (2013). Classificação do conteúdo dos relatórios de sustentabilidade de empresas premiadas por suas práticas de responsabilidade socioambiental. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade – REPeC, 7(2), pp. 147-166. doi: 10.17524/repec.v7i2.629

Crisóstomo, V. L.; Freire, F. S., & Parente, P. H. N. (2013, junho). Ownership concentration favors corporate social responsibility of Brazilian firm. Anais do Congresso da Associação Nacional de Programas de Pós-Graduação em Ciências Contábeis – ANPCONT, Fortaleza, CE, Brasil, 7.

Cunha, J. V. A., & Coelho, A. C. (2007). Regressão linear múltipla. In L. J. Corrar, E. Paulo, & J. M. Dias Filho (Coords.). Análise multivariada: para os cursos de administração, ciências contábeis e economia, pp. 131-231. São Paulo: Atlas.

Dam, L., & Scholtens, B. (2012). Does ownership type matter for corporate social responsibility? Corporate Governance: An International Review, 20(3), pp. 233-252. doi: 10.1111/j.1467-8683.2011.00907.x

Dam, L., & Scholtens, B. (2013). Ownership concentration and CSR policy of European multinational enterprises. Journal of Business Ethics, 118(1), pp. 117-126. doi: 10.1007/s10551-012-1574-1

Dami, A. B. T., Rogers, P. & Ribeiro, K. C. S. (2007) Estrutura de propriedade no Brasil: evidências empíricas no grau de concentração acionária. Revista Contemporânea de Economia e Gestão - Contextus, 5(2), pp. 21-30.

De Luca, M. M. M., Assunção, R. R., & Costa, J. A. (2013, dezembro). Fatores determinantes do disclosure voluntário de empresas do Brasil e de países desenvolvidos, sob o enfoque da sustentabilidade. Anais do Encontro Nacional sobre Gestão Empresarial e Meio Ambiente – ENGEMA, São Paulo, SP, Brasil, 15.

Deegan, C. (2005). Legitimacy theory. In Z. Hoque (Coord.). Methodological issues in accounting research: theories and methods, pp. 161- 179. Londres: Spiramus.

Dias, J. M., Filho (2007, setembro). Políticas de evidenciação contábil: um estudo do poder preditivo e explicativo da teoria da legitimidade. Anais do Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração – EnANPAD, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 31.

Díez, J. L. G., Gago, R. F., & García, L. C. (2011). Propriedad y control en la puesta en práctica de la RSC. Cuardenos de Economía y Dirección de la Empresa, 15(1), pp. 1-11. doi: 10.1016/j.cede.2011.06.002

Dyer, W. G., Jr., & Whetten, D. A. (2006). Family firms and Social Responsibility: preliminary evidence from the S&P 500. Entrepreneurship Theory and Practice, 30(6), pp. 785-802. doi: 10.1111/j.1540-6520.2006.00151.x

Fonseca, F. A. P. B., Almeida, K. K. N., & França, R. D. (2012). Evidenciação de informações ambientais em empresas do segmento de utilidade pública listadas na BM&FBovespa: um estudo sobre a evolução na divulgação dessas informações. Revista de Administração, Contabilidade e Sustentabilidade – REUNIR, 2(3), pp. 51-68. doi: 10.18696/reunir.v2i3.63

Gallo, P. J., & Christensen, L. J. (2011). Firm size matters: an empirical investigation of organizational size and ownership on sustainability-related behaviors. Business Society, 50(2), pp. 315-349. doi: 10.1177/0007650311398784

García, L. C., Navarro, M. S., & Ansón, S. G. (2014). Propiedad familiar, control y efecto generación y RSC. Revista de Empresa Familiar, 4(1), pp. 9-20.

Garcia, S., Cintra, Y. C., Ribeiro, M. S., & Dibbern, B. R. S. (2015). Qualidade da divulgação socioambiental: um estudo sobre a acurácia das informações contábeis nos relatórios de sustentabilidade. Revista Contemporânea de Contabilidade – RCC, 12(25), pp. 67-94. doi: 10.5007/2175-8069.2015v12n25p95

Ghazali, N. A. M. (2007). Ownership structure and corporate social responsibility disclosure: some Malaysian evidence. Corporate Governance, 7(3), pp. 251-266. doi: 10.1108/14720700710756535

Gillan, S. L., & Starks, L. T. (2003, agosto). Corporate governance, corporate ownership, and the role of institutional investors: a global perspective [Working Paper Series]. John L. Weinberg Center for Corporate Governance, University of Delaware. Recuperado em 05 de maio, 2014, de http://papers.ssrn.com/sol3/papers.cfm?abstract_id=439500

Gondrige, E. O., Espejo, M. M. S. B., Clemente, A., & Silva, W. V. (2011, setembro). Fatores explicativos do disclosure voluntário das empresas brasileiras de capital aberto sob a perspectiva da estrutura de governança corporativa e de propriedade. Anais do Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração – EnANPAD, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 35.

Hair, J. F., Jr., Babin, B., Money, A. H., & Samouel, P. (2005). Fundamentos de métodos de pesquisa em administração. Porto Alegre: Bookman. Professor não encontrei no texto

Iyer, V., & Lulseged, A. (2013). Does family status impact US firms’ sustainability reporting? Sustainability Accounting, Management and Policy Journal, 4(2), pp. 163-189. doi: 10.1108/SAMPJ-Nov-2011-0032

Javid, A. Y., & Iqbal, R. (2008). Ownership concentration, corporate governance and firm performance: evidence from Pakistan. The Pakistan Development Review, 47(4), pp. 643-659.

Lima, L. S. (2013). Governança corporativa, valor e desempenho de empresas com participação acionária de fundos de pensão no Brasil. Dissertação de mestrado, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Martini, L. C., Jr., Silva, E. R., & Mattos, U. A. O. (2014). Análise da transparência corporativa por meio dos relatórios de sustentabilidade com base na Global Reporting Initiative de empresas do setor brasileiro de energia elétrica. Sistemas & Gestão, 9(1), pp. 34-46. doi: 10.7177/sg.2014.v9.n1.a4 professor não encontrei no texto

Murcia, F. D. (2009). Fatores determinantes do nível de disclosure voluntário de companhias abertas no Brasil. 2009. 181 f. Tese de doutorado, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Muttakin, M. B., & Subramaniam, N. (2015). Firm ownership and board characteristics: do they matter for corporate social responsibility disclosure of Indian companies? Sustainability Accounting, Management and Policy Journal, 6(2), pp. 138-165. doi: 10.1108/SAMPJ-10-2013-0042

Oh, W. Y., Chang, Y. K., & Martynov, A. (2011). The effect of ownership structure on corporate social responsibility: empirical evidence from Korea. Journal of Business Ethics, 104(2), pp. 283-297, 2011. doi: 10.1007/s10551-011-0912-z

Okimura, R. T., Silveira, A. D. M., & Rocha, K. C. (2007). Estrutura de propriedade e desempenho corporativo no Brasil. Revista de Administração Contemporânea - Eletrônica, 1(1), pp. 119-135.

Pedersen, T., & Thomsen, S. (1997). European patterns of corporate ownership: a twelve-country study. Journal of International Business Studies, 28(4), pp. 759-778. doi: 10.1057/palgrave.jibs.8490118

Ribeiro, A. M.; Van Bellen; H. M.; Carvalho, L. N. G. (2011). Regulamentar faz diferença? O caso da evidenciação ambiental. Revista Contabilidade & Finanças, 22(56), pp. 137-154. doi: 10.1590/S1519-70772011000200002

Roque, V., & Cortez, M. C. (2006). A divulgação de informação ambiental e a performance financeira das empresas cotadas em Portugal. Tékhne - Revista de Estudos Politécnicos, 3(5/6), pp. 119-143.

Saleh, M., Zulkifli, N., & Muhamad, R. (2010). Corporate social responsibility disclosure and its relation on institutional ownership: evidence from public listed companies in Malaysia. Managerial Auditing Journal, 25(6), pp. 591-613. doi: 10.1108/02686901011054881

Sampaio, M. S., Gomes, S. M. S., Bruni, A. L., & Dias, J. M., Filho (2012). Evidenciação de informações socioambientais e isomorfismo: um estudo com mineradoras brasileiras. Revista Universo Contábil, 8(1), pp. 105-122. doi: 10.4270/ruc.2012107

Sarlo, A., Neto (2009). Relação entre a estrutura de propriedade e a informatividade dos lucros contábeis no mercado brasileiro. Tese de doutorado, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Silva, F. L., Chan, B. L., Furuta, F., & Martins, G. A. (2007, setembro). Influências do controle acionário no disclosure de informações contábeis. Anais do Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração – EnANPAD, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 31.

Sonza, I. B. (2012). Eficiência em estruturas de propriedade concentradas e compensação de executivos: novas evidências para o Brasil. Tese de doutorado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil.

Wahab, E. A. A. W., How, J., & Verhoeven, P. (2008). Corporate governance and institutional investors: evidence from Malaysia. Asian Academy of Management Journal of Accounting and Finance, 4(2), pp. 67-90.

Publicado
26-01-2016
Como Citar
Almeida, T. A., Santos, L. M. F. dos, Cabral, A. C. de A., Santos, S. M. dos, & Pessoa, M. N. M. (2016). Estrutura de propriedade e disclosure econômico e socioambiental nas maiores empresas do Brasil. Revista De Educação E Pesquisa Em Contabilidade (REPeC), 9(4). https://doi.org/10.17524/repec.v9i4.1289
Seção
Artigos